sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

PROTETOR VOLUNTÁRIO - Proteção aos Animais

Hoje em dia a proteção animal virou um modismo. Muita gente acha bacana dizer que é “Protetor de Animais”, mas o que exatamente ser um “Protetor de Animais”?
Para começar gostaria de esclarecer que proteger animais não é chamar uma ONG ou ligar para um protetor independente quando um animal está sendo mau tratado. Proteger animais também não é ficar no computador apenas repassando pedidos de ajuda, nem se sentir no direito de exigir e cobrar que pessoas ligadas a causa façam o que você considera certo fazer. Estas são apenas formas de divulgar ações e necessidades ligadas a causa, e não a proteção em sua essência.
Em primeiro lugar
é importante saber que protetores de animais são pessoas iguais a você, eles trabalham, estudam, possuem família, filhos, quintal pequeno, moram em apartamento em alguns casos, mas decidiram arregaçar as mangas e fazer a diferença.
Um dia desses eu ouvi que “ser protetor de animais é um apostolado”, e isso significa você dedicar sua vida, seu tempo e seu dinheiro a uma causa que muito provavelmente “nunca” lhe trará nenhum retorno material. Consiste também em mudar seus hábitos alimentares (parar de consumir carne), hábitos de diversão (rodeios, vaquejadas, touradas, feiras de exposição, de exploração, de competição, etc.), hábitos de consumo (roupas de origem animal como casacos de pele, etc.), hábitos em geral.O “protetor de animais” muda sua visão em relação a vida, passa a respeitar toda forma de vida, passa a lutar pela defesa dos direitos dos animais, pela castração, pela adoção, por leis mais rígidas e que os defendam, pela conscientização da população, contra a exploração animal em todas as suas formas, contra o comércio de animais, etc.
Ninguém muda estes hábitos facilmente, nenhuma pessoa que conheço amanheceu e disse: a partir de hoje sou um protetor de animais e vou deixar de fazer tudo o que fiz a minha vida inteira. A vontade de ajudar nos impulsiona a levantar e ir, com o tempo criamos cada vez mais a consciência em relação aos assuntos relacionados à causa, nossos hábitos são mudados aos poucos e gradativamente.
É uma luta pessoal contra nós mesmos, e em alguns casos, contra nossos familiares que não conseguem entender e aceitar essa mudança.
Ser um “protetor de animais” é ter responsabilidade social de maneira totalmente independente da caridade. Promover a conscientização em relação ao respeito dos animais é uma das bandeiras mais importantes da causa, fazer com que as pessoas enxerguem que o animal tem uma vida que precisa ser respeitada, é uma batalha constante. Os animais existem da mesma maneira que todos nós, possuem suas individualidades e não estão aqui para nos servir.
Os defensores dos animais devem ser felizes com sua bandeira, devem se orgulhar do que fazem. Se defender animais te trouxer algum tipo de angústia, talvez seja a hora de repensar e mudar de causa.
Os animais precisam de pessoas sensatas, que estejam sempre empenhadas em aprender, que estejam dispostas a tentar mudar o mundo, mas se conseguirem mudar apenas a pessoa que está ao seu lado, já fizeram muito mais do que 99% da população. Os animais não podem se defender, eles só têm a nós, seres humanos, para defendê-los, e exatamente por isso temos que nos manter equilibrados para fazê-lo, e fazer com prazer, paixão e de maneira otimista. Pessoas agressivas e desacreditadas, não apenas na causa animais mas em todas as causas, geralmente não conseguem atingir seus objetivos na sociedade, pois não conseguem desenvolver o potencial necessário para valorizar a causa que defendem.
Tenha sempre à frente, e como referência, pessoas inseridas na causa e que desenvolvam um trabalho baseado na seriedade e, acima de tudo, idoneidade. Fuja dos falsos protetores, pessoas que estão inseridas na causa tentando tirar benefícios materiais ou prestígio. Acredite em você e em seus objetivos, arregace as mangas e faça, não tenha projetos alimentados apenas pela esperança, estabeleça objetivos e metas, faça você também a diferença.
Texto de
Lilian Rockenbach

FELIZ ANO NOVO!

UMA FELIZ VIRADA DE ANO E QUE 2011 TRAGA MUITAS FELICIDADES A VOCÊ, SEUS FAMILIARES E A TODA BICHARADA!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Cachorrinha atropelada, faminta e com 5 filhotes para amamentar adota gatinho

Mesmo com fortes dores causadas pelo atropelamento, Esperanza amamentava os cinco filhotes e um gatinho abandonado como ela. Foto: HANDOUT

Uma cachorrinha SRD abandonada e com cinco filhotes para amamentar deu um lindo exemplo de solidariedade para os moradores da cidade de Alberta, no Canadá. Mesmo ferida por ter sido atropelada e com fome pelo abandono, Esperanza, como foi batizada, adotou para sua ninhada um gatinho bebê.

Criss Gerwing, que dirige um grupo de salvamento de animais, encontrou Esperanza e se surpreendeu ao ver que ela amamentava seus cães e um gatinho. “Eu chorei porque ela estava em péssimas condições, com a perna ferida, mas ela estava amamentando, obviamente, e fazia o mesmo com o gatinho”, disse Gerwing ao Winnipeg Free Press.

Gerwing levou a família inteira para a Humane Society Edmonton, onde os veterinários achavam que teriam que amputar a perna ferida da mamãe canina. Mas o veterinário Milton Ness, que se refere a Esperanza como uma “alma especial” se ofereceu para fazer uma cirurgia que salvou a parte posterior de Esperanza.

“Ela é uma cadela doce. Ela tem uma personalidade maravilhosa. É incrível quando você reflete sobre isso. Você encontra essa cadela, que dá de si mesma, cuidando desses filhotes recém-nascidos e do gatinho, certificando-se sempre que estão bem, embora ela obviamente estivesse com muita dor”, disse um dos representantes da Humane Society.

Jacob, o gato, já tinha quatro meses de idade e não deveria estar sendo amamentado, então veterinários da Humane Society fizeram o trabalho de desmame e ele agora está sendo cuidada por uma funcionária, segundo informou o Winnipeg Free Press.

A funcionária o leva ao abrigo todos os dias para visitar sua mãe adotiva e seus bebês. Seus meio-irmãos caninos são jovens demais para prestar muita atenção a ele – os olhos mal estão abertos – mas Esperanza fica sempre feliz ao ver Jacob e lhe dá muitas lambidas.

O passado de Esperanza é um mistério. Ninguém se apresentou procurando por ela, mas ela está bem socializada.

A mãe devotada está se recuperando bem. Ela e seus filhotes irão para lares provisórios até que sejam encontrados lares definitivos para eles. A Humane Society gostaria de ver Esperanza e Jacob serem adotados juntos.

A Humane Society declarou que “essa história é comovente, especialmente nesta época do ano, as festas de Natal. Aqui você tem a verdadeira imagem de uma família”.

Fonte:http://www.anda.jor.br/2010/12/30/cachorrinha-atropelada-faminta-e-com-5-filhotes-paraamamentar-adota-gatinho/

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Sr.Paulo da Restinga

Austrália - Gato reaparece três anos depois

Clyde, um gato himalaio ainda jovem, que tinha desaparecido há cerca de três anos da casa dos seus donos, na Tasmânia, apareceu agora a 3800 quilómetros de casa, para espanto dos donos, que já há muito não esperavam rever o seu gato.

Tudo começou quando a dona, Ashleigh Sullivan, foi presenteada com o gato que há muito desejava ter, no dia em que fez os seus dezesseis anos. A sua felicidade foi total, mas durou poucos meses. Clyde foi sempre acompanhado pela veterinária de confiança da família e foi-lhe colocado um chip de identificação, que lhe valeu agora o retorno à casa.

Clyde desapareceu pouco tempo após lhe ter sido colocado o chip, e na altura Ashleigh e a família tentaram em vão recuperar o seu gato. Deixaram anúncios, folhetos, percorreram durante dias a fio na sua zona, mas o gato sumiu, e não tinham qualquer sinal de que estivesse vivo.

Recentemente, em Cloncurry, no Norte da Austrália, uma senhora encontrou Clyde e estranhou que o gato tivesse sido abandonado. Dirigiu-se a uma clínica veterinária, onde foi lida a informação contida no chip, e logo se identificou a proprietária do animal, que recebeu de imediato a noticia. Quando foi informada, nem queria acreditar que, passado tanto tempo, o seu bichano ia regressar a casa.

Ninguém sabe ao certo o que se passou durante o período em que Clyde andou desaparecido, e colocam-se várias possibilidades. Uma delas é o gato ter entrado inadvertidamente num dos caminhões que diariamente cruzam todo o território australiano e ter viajado clandestinamente até ao outro lado do país. A outra é ter sido levado por alguém, de forma consciente, que mais tarde veio a abandonar o animal.

Dada a distância a que foi encontrado, Clyde demorou alguns dias a chegar a casa em segurança. A sua dona, agora com 19 anos, esperou ansiosamente a sua chegada e nem queria acreditar quando voltou a sentir o gato no seu colo. Depois dos agradecimentos, Ashleigh Sullivan demonstrou uma enorme felicidade pelo fato de Clyde ter regressado, tudo porque alguém a 3800 quilómetros se preocupou em saber a história do animal.

Aparentemente, Clyde sobreviveu nos últimos tempos de forma solitária, apesar de o seu estado de saúde geral ser bastante bom, de acordo com o exame realizado pela mesma veterinária que em 2006 havia tratado de colocar o chip no gato.Fonte:http://bicharada.net/animais/noticias.php?nid=1035

Multas pesadas para quem abandona animais feridos na Itália


As autoridades italianas, após apanharem dezenas de animais que são atropelados e abandonados na beira das estradas, decidiram aumentar drasticamente as multas para quem atropele um animal nas estradas italianas ou saiba da existência de um animal ferido e não contacte as autoridades competentes.

Os valores, que fazem parte do novo código da estrada italiano, podem atingir os 1560 € para quem atropelar um animal e lhe negar auxílio e até 310 € para quem não prestar socorro a um animal que encontre ferido.

Outra alteração é a permissão para que os veículos de socorro que transportem animais feridos possam assinalar marcha de urgência, através de sirenes e luzes rotativas.

Fonte:http://www.mundodosanimais.com/blog/2010/multas-pesadas-para-quem-abandone-animais-feridos-em-italia/

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

O agradecimento dos animais pelo Natal ou ‘Hoje eu sou uma estrela’

por Marcio de Almeida Bueno, jornalista

Natal

Esqueça o oba-oba das lojas, os empurroões no trânsito e a expectativa de folga, bebida e comilança. Somente o olhar dos animais não-humanos é verdadeiro, dentre o furacão que os engole com mais força, no final de cada ano. Os animais da pecuária encaram o fim de suas vidas – ‘eles nasceram para isso’ – enquanto contemplam o traseiro de um clone seu, nos bretes e corredores de concreto que antecedem a mesa farta preparada com tanto esmero pelas famílias de bom coração.

O olhar de quem não sabe chorar, já que a reza na hora do desespero é exclusividade na lista da racionalidade – essa qualidade que separa a humanidade das bestas-feras. O olhar de quem viu o filhote ser puxado para longe de si pelos funcionários da fazenda, esse lugar bucólico onde os animais são tratados como reis, já que optaram por isso em troca de suas liberdades.

O olhar do frango que está encaixotado, empilhado em um caminhão que passa na nossa frente quando estamos na estrada, rumo às férias. Perdemos um segundo, apenas, pensando nisso. Não há espaço para que ele nos dê um tchauzinho, talvez agradecendo pelo doce toque da morte que o aliaviará e abreviará sua existência marcada pela ausência de mãe, confinamento, horários alterados para ditar o ritmo da engorda e opressão no dia-a-dia.

‘Obrigado Papai Noel ou menino Jesus por me tirar de um aviário com outras milhares de aves. Obrigado pela ração e água que mantiveram este corpo vivo, pois ele vale pelo preço que alguém paga. Não tem o valor que minha mãe, animal como eu, instintivamente perceberia, e por isso me defenderia, em condições normais. Aqui sou um entre milhares, e não parece fazer muita diferença se eu morrer agora ou esperar o caminhão dos caixotes. Nasci de uma máquina de ovos, mas espero encontrar minha mãe, ciscando a meu lado, algum dia.

Obrigado Deus humano pela corrente que sempre existiu em torno do meu pescoço, que não me permite caminhar até o horizonte. Ou até o ponto onde há sombra, onde a água da chuva não está empoçada. Agradeço pelos dias que lembraram da minha existência, e sobras de comida chegaram até onde esta corrente permitiu alcançar. Obrigado, Papai Noel, por ter sido escolhido como animal de estimação por uma família de humanos.

Obrigado, espírito natalino, por eu ter puxado tanta carroça em meio à fumaça de óleo diesel, fraco, assustado e sedento, que enfim eu tombei no asfalto. A última surra que tomei do carroceiro, para que eu me levantasse, permitiu que enfim meu espírito pudesse cavalgar livre naquelas campos verdes onde quadrúpedes iguais a mim, porém belos e com longas crinas, correm sentindo o vento da natureza. Acho que o esforço que fiz diariamente para tirar meu condutor da miséria, ou pelo menos diminuir sua pobreza, foi menos do que eu poderia, entao eu aceito meu castigo.

Obrigado, família do presépio, por eu ter sido o escolhido para, ainda bebê, estar na mesa de tantas residências, para ter meu pequeno corpo saboreado em uma bonita bandeja, assado e servido à meia-noite. Ainda não entendi porque nasci e morri tão rápido, se fiz algo errado a ponto de não poder crescer um pouco mais em um lugar que, onde vi, havia outros como eu, alguns bem gordos. Mal lembro da minha mãe, mas lembro que ela não podia se virar, cercada em um gradeado enquanto mamávamos. Talvez tenha sido azar, talvez tenha sido sorte.

Obrigado meu Deus, por eu poder ajudar tanta gente a usar um xampu que não irrite os olhos, uma maquiagem que não cause problemas, um produto qualquer a ser dado de presente neste Natal, que nunca vou saber direito, que atendeu os humanos em suas expectativas mais simples. Estive em um laboratório, cercado de pessoas de jaleco branco, durante tempo suficiente para saber que sou parte importante do progresso, que a Ciência evoluiu graças à minha dor, meu aprisionamento e tudo aquilo que os produtos geraram nos meus olhos e no meu corpo. Fico grato por ter ajudado.

Obrigado Maria, mãe de todas as mães que, zelosas como eu, dão leite a seus filhos durante anos, mesmo após o fim de sua amamentação natural. Minha vida neste estábulo, com úberes gigantes e doloridos, plugados em uma máquina, é o sacrifício que faço para a saúde humana. Não percebi, ainda, em minha mentalidade abaixo da humana, porque o leite de meus filhos vai para os filhos de outra espécie, e até quando já são adultos. Meu filhote não está mais ao alcance de minha vista, foi retirado cedo de meu lado, mas sei que o papel dele, como vitelo, ocupa espaço de respeito junto aos humanos. É alvo de muitos comentários e elogios. Pelo menos é o que imagino, pois o sacrifício é doloroso o suficiente para, respeitosamente, ousar questionar o porquê de minha existência. Mas agradeço mesmo assim, Papai Noel.

Obrigado pelas palmas cada vez que apareço no picadeiro. O olhar das crianças me faz esquecer a minha vida de tédio e imobilidade, viajando de cidade a cidade. Quem sabe um dia eu e os demais animais cheguemos ao lugar de onde viemos, que deverá ter muitas árvores, rios e espaços para correr. Enquanto isso, eu repito as manobras noite após noite, mostro os mesmos truques que, pela minha teimosia, eu custei a decorar. Quem sabe neste Natal eu ganhe uma última viagem, de volta ao habitat que jamais conheci em vida.

Obrigado Natal, por eu poder aquecer tanta gente elegante em momentos de frio. Nasci peludo tal como minha mãe, e como ela pude participar da indústria humana, essa coisa que traz tanto progresso, dando de bom grado minha própria pele para que maridos mostrem afeto à esposa, presenteando-as com belos casacos. Muita gente famosa e rica usa a pele que pode ter sido minha. Isso me enche de orgulho e faz valer o tempo que morei em uma gaiola pouco maior que meu próprio corpo. Já estava cansado de andar em círculos, lembrando dos bosques que um dia corri de cima a baixo. Mas um dia veio a dor que, por pior que tenha sido, me libertou finalmente. Ainda relutei alguns minutos, já sem pele, mas vi que a liberdade me abraçava e escurecia minhas vistas. Acho que valeu a pena, pois sou fotografado e até apareço na televisão, durante o inverno – pelo menos acredito que aquelas partes sejam minhas, cobrindo o corpo de pessoas tão bonitas e famosas. Obrigado aos responsáveis.

Obrigado a todos que vieram me assistir nesta arena. Ainda estou zonzo e ofuscado pela luz após dias de escuridão, mas já entendi que, aqui, eu sou a atração. Há um semelhante a mim, porém sem chifres e mais magro, e nele está montado um humano, com roupas garbosas e armas tão afiadas como as que já furaram tantos iguais a mim. Eu espero que tudo isto termine logo, pois o cansaço está vencendo a euforia, há tanto sangue que já não sei se é meu ou de alguém antes de mim, e está difícil fazer levantar a platéia tantas vezes. Que a morte venha me tocar com a mesma doçura da última vez que fui tocado pela minha mãe. Ela deve estar orgulhosa de um filho que resistiu até o fim, cercado de espadas, aplaudido, sangrando ajoelhado, língua de fora mas fazendo questão de participar do show até o fim. Acho que os aplausos são para mim, já que os olhares convergem para onde estou. E eu não sei onde estou.

Obrigado menino Jesus por ter nascido e feito seus iguais perceberem a necessidade de haver uma festa em seu nome, para redenção e paz, onde eu seria assado em espeto e saboreado por tantas pessoas felizes, sorridentes e em clima de fraternidade. Jamais imaginei que, sem saber falar, sem ter tido escolhas, seria eu o ponto central dos churrascos de final de ano de tantas empresas, entidades, famílias e grupos a confraternizar. Aguardei este momento sempre em espaços com arame farpado, tal como a coroa que um dia finalmente lhe puseram na cabeça, e usei argola no nariz para que um filho seu, fiel e devoto, me conduzisse para o lugar certo. Apanhei da vida, mas quem não apanhou? Sempre soube que uma vida de aperto, confinamento, marcação a ferro quente, castração a frio e morte sobre o concreto teriam um sentido maior. Obrigado por dar um norte a minha vida. Hoje, eu sou uma estrela.



www.vanguardaabolicionista.com.br

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Homenagem a todos os guerreiros !!

Por você REALMENTE voluntário que com tantos compromissos agendados, não ficou indiferente diante de um animal atropelado, sarnento, esfomeado, abandonado.

Por você voluntário, que teve seu descanso interrompido para socorrer um animal aos gritos
Por você que desceu ribanceira, correu na chuva, atolou na lama
Por você voluntário, que mesmo sem espaço, acolheu mais
um animal abandonado
Que diante de um gemido de um cão, ou de um gato, não teve seus ouvidos tapados.

Por você que diante de um animal teve compaixão
Que curou feridas, vacinou, castrou, amou
Por você voluntário, que nunca escondeu a emoção
Que chorou, que sofreu ao lado de um cão
Que criou mais braços e pernas para alcançar soluções
É por você voluntário, que o mundo animal tem se tornado menos pior
É por você que inúmeros miaus e aus aus, se espreguiçam ao sol
Brincam na grama, abanam a cauda, atendem por um nome
E é através de você voluntário, de sua ação, que muitos animais tiveram
oportunidade de reabilitação, conseguiram um lar, um brilho de alegria
no olhar

A todos os voluntários,
rendo minha singela homenagem

Pelo seu amor, dedicação e coragem.
Deus abençoe toda mão que trabalha pela Divina Criação
Parabéns a todos REALMENTE voluntários!
Boas Festas a Todos, e que no ano de 2011, que nosso criador nos dê mais força ainda para continuar lutando nessa causa, sempre, nunca desista, pois maior que seja o nosso sofrimento, sempre terá um ser nas ruas sofrendo com a dor maior que há, a do abandono, isso não tem remédio que amenize, só nós os voluntários, Anjos sem asas usados por Deus!! Continuem lutando Sempre!!! Nunca Desista!!

Fonte: @mor @os @nim@is - http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=13786702061158496611

Homenagem a todos os guerreiros !!

Por você REALMENTE voluntário
que com tantos compromissos agendados, não ficou indiferente diante de um animal atropelado, sarnento, esfomeado, abandonado.
Por você voluntário, que teve seu descanso interrompido para socorrer um animal aos gritos
Por você que desceu ribanceira, correu na chuva, atolou na lama
Por você voluntário, que mesmo sem espaço, acolheu mais
um animal abandonado
Que diante de um gemido de um cão, ou de um gato, não teve seus ouvidos tapados.

Por você que diante de um animal teve compaixão
Que curou feridas, vacinou, castrou, amou
Por você voluntário, que nunca escondeu a emoção
Que chorou, que sofreu ao lado de um cão
Que criou mais braços e pernas para alcançar soluções
É por você voluntário, que o mundo animal tem se tornado menos pior
É por você que inúmeros miaus e aus aus, se espreguiçam ao sol
Brincam na grama, abanam a cauda, atendem por um nome
E
é através de você voluntário, de sua ação, que muitos animais tiveram
oportunidade de reabilitação, conseguiram um lar, um brilho de alegria
no olhar

A todos os voluntários,
rendo minha singela homenagem

Pelo seu amor, dedicação e coragem.
Deus abençoe toda mão que trabalha pela Divina Criação
Parabéns a todos REALMENTE voluntários!
Boas Festas a Todos, e que no ano de 2011, que nosso criador nos dê mais força ainda p continuar lutando nessa causa, sempre, nunca desista, pois maior que seja o nosso sofrimento, sempre terá um ser nas ruas sofrendo com a dor maior que há, a do abandono, isso não tem remédio que amenize, só nós os voluntários, Anjos sem asas usados por Deus!! Continuem lutando Sempre!!! Nunca Desista!!

Fonte: @mor @os @nim@is - http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=13786702061158496611

OBRAS NO TEATRO ARAUJO VIANNA - Porto Alegre/RS

Às protetoras



Novamente conseguimos o contato para que a OPUS reabra o prédio para vistoria.



Conforme informações haverá ronda da Brigada Militar à noite, quando os tapumes são forçados e abertos espaços para que outros gatos entrem no local, provavelmente por pessoas que abandonam estes animais indefesos à própria sorte.



O Sr.Luiz Eduardo Gerente da OPUS, solicitou que contatasse com o segurança até 7hs. da manhã, antes de começar o turno da obra ou após as 20 hs., quando o desmanche da obra cessa, e fica mais seguro entrar no local.



Solicitar autorização para entrar no local com o segurança Sr. Luiz Antonio – celular 51 - 84659345 51 - 84659345



Para outras informações, o telefone do Sr.Luiz Eduardo é 53 - 99722376 53 - 99722376



Att.

Lourdes Sprenger

Assessora de Gabinete

COMPPAD/GP/PMPA

sábado, 18 de dezembro de 2010

Cães roedores

Os cão exploram o mundo cheirando, lambendo e roendo os objectos. Os donos devem estar cientes de que todos os cães roem e que esse comportamento é natural e normal. O que não é desejável é que o cão faça estragos em casa e para isso, o treino, os brinquedos e a persistência são a solução perfeita.

Nem todos os cães têm a mesma necessidade de roer e este instinto varia de raça para raça e até de cão para cão. Roer é um instinto normal, mas se for levado ao extremo pode ter razões clínicas que o justifiquem. Em caso de dúvida, leve o cão ao veterinário.

O perigo de roer

Roer não só estraga os objetos da casa, mas coloca ainda um perigo maior: o da própria vida do cão.

Fios eléctricos, agulhas, plantas venenosas, produtos de limpeza, comida estragada ou comida imprópria no caixote do lixo, como por exemplo, ossos de galinha, chocolate, etc., colocam a vida do cão em perigo se roídos ou ingeridos. Proteja o cão destes perigos removendo os objectos perigosos.


Assumir responsabilidades

Não é difícil fazer com que os chinelos, as meias ou outros objectos pessoais não acabem na boca do cão, simplesmente mantenha-os fora do alcance do animal. No início, pode haver deslizes, pois implica a alteração das rotinas em casa e há coisas que são feitas maquinalmente, mas se não tomou as devidas precauções deve assumir a sua quota parte de responsabilidade por ter deixado os objectos acessíveis ao cão.


Sem confusões

Os cães não são capazes de distinguir entre meias, sapatos ou chinelos velhos que ele pode roer e os novos em que ele não pode tocar. O cão deve ter os seus próprios brinquedos, claramente separados dos objectos do dono ou da casa.


Não, não e não

Os cães aprendem rapidamente o significado de um “não” grave. Sempre que o cão esteja a roer algo inapropriado, diga “não”. Depois, ofereça-lhe uma alternativa, um osso, um brinquedo, etc. e teça largos elogios caso o cão os comece a roer.

Este treino deve ser consistente e deve ser cumprido até ao fim. Não chega dizer apenas “não”. Tem também de dizer ao cão aquilo que ele pode roer.


Opções corretas

Os cães até ao completarem um ano de vida passam pela mudança da dentição o que aguça a vontade de roer. Não é possível suprimir a vontade de roer, por isso, o mais inteligente é desviá-la para objectos que podem ser roídos: os brinquedos do cão.

Os cães retiram verdadeiro prazer de roer, ou seja, para eles, conseguir roer um osso é uma recompensa em si. Assim, o cão deve ter acesso a dois tipos de ossos:

•um que seja mais resistente, que dure durante dias, ou talvez semanas, e que esteja sempre disponível para que o cão possa recorrer a ele quando necessitar;
•e outro que se desfaça “na hora”, ou seja, menos resistente. Estes ossos devem ser dados ao cão nas maiores “crises” que ele tenha, já que o cão retira um maior prazer da destruição imediata.

Brinquedos que façam barulho são uma mais-valia, caso os possa ter em casa. Uma opção é tê-los apenas disponíveis durante o dia e recolhê-los à noite, para que o cão não incomode os donos e vizinhos. Estes brinquedos que “chiam” são interactivos, respondem ao cão, o que geralmente os entusiasma, ou seja, encoraja-os a continuar a roer. Os cães mais medrosos podem não gostar do som, por isso observe a reacção do cão antes de encher a casa com este tipo de brinquedos.

Outra opção são os brinquedos que se recheiam com comida apropriada para cães. Estes brinquedos oferecem ao cão uma maior recompensa do que o chinelo e o cão tende a preferi-los. Contudo, são geralmente dados para entreter o cão enquanto está sozinho, já que não é possível estar constantemente a alimentar o animal com guloseimas.

Aplique um grau de rotatividade aos brinquedos do cão, guardando por algum tempo um ou dois brinquedos. Assim, quando voltar a oferecer esses brinquedos ao cão, estes vão ser muito mais interessantes do que se estivessem sempre disponíveis.

No caso de cães jovens, pode também começar por ter poucos brinquedos, e ir acrescentando mais variedade, um por mês, ou de dois em dois meses. Desta forma vai poder adaptar melhor os brinquedos ao tamanho do cão, sobretudo se o cachorro for de porte grande, nestes casos, os brinquedos que ele usa aos 3 meses não são indicados para quando tiver um ano. Contudo, não caia no exagero de oferecer demasiados brinquedos. Se o cão tiver brinquedos a mais, aplique o esquema da rotatividade.


A sério ou a brincar?

Quando apanha o cão com algo que não é dele, como por exemplo um chinelo, a tendência natural é correr até ao cão para lhe tirar o objecto. O cão naturalmente vai fugir e dar assim início a uma brincadeira que muito lhe dá gosto: perseguir e ser perseguido. Contudo, para o dono não se trata de uma brincadeira e este tipo de mal entendidos geralmente geram frustração nos humanos.

Assim, sempre que o cão tiver algo na boca que não seja dele, aproxime-se calmamente e retire o objecto da boca. Depois ofereça-lhe um brinquedo. Se o cão começa imediatamente a fugir, ofereça-lhe uma recompensa em troca pelo chinelo, o máximo que o estará a ensinar é a ir buscar os chinelos.


Exceções

É normal o cão sentir vontade de roer enquanto é cachorro, vontade essa que o acompanha para toda a vida, embora em muito menor grau na idade adulta. Contudo existem excepções. Os cachorros com náuseas podem recorrer a tapetes ou outros objectos para roer. Geralmente fazem-no porque não têm relva acessível que geralmente lhes induz o vómito e alivia o mal-estar.

Em adultos, o instinto de roer é bastante mais moderado e um cão que apresenta este comportamento de forma exacerbada pode estar aborrecido ou em stress. O cão que se encontra nestas condições liberta as suas energias através de comportamentos destrutivos, entre os quais, roer é um exemplo.

Estes casos não são infelizmente tão excepcionais já que o emprego obriga muitos donos a deixarem o cão sozinhos durante várias horas seguidas. Se este for o seu caso, pondere arranjar companhia para o animal ou compensar a ausência com exercício, 2 horas diárias para cães de médio porte

Fonte: http://dogandhistalent.blogspot.com/2009/12/os-cao-exploram-o-mundo-cheirando.html




O escritor Mark Twain foi um dos precursores do movimento de defesa animal nos EUA

Shelley Fisher Fishkin, professora da Universidade de Stanford, diz que o escritor Mark Twain, nascido nos Estados Unidos, autor de clássicos como As Aventuras de Tom Sawyer (1876), foi o primeiro americano proeminente a dar seu apoio como figura pública ao movimento de defesa dos direitos animais.
Mark Twain

Mark Twain

Em seu novo livro, Mark Twain’s Book of Animals (tradução livre: O Livro de Animais de Mark Twain), Fishkin examina como o fascínio de Twain por animais, e seu trabalho de defesa por eles, se revela em muitos dos seus trabalhos.

O livro inclui uma ampla coletânea do trabalho de Twain, entre contos, crônicas de viagem e cartas privadas. Também inclui a famosa polêmica que Twain escreveu contra vivissecção que mais tarde foi usada como um manifesto pelos antivivissecionistas mundo afora.

Segundo a autora, no trabalhos incluídos em seu livro “nós vemos o lado mais lúdico e filosófico de Twain, o mais sentimental e sarcástico. Nós o vemos se divertindo e pulsando com raiva”.

Dos animais referenciados por Twain estão os cães, gatos, cavalos e pássaros e também ornitorrinco, martim-pescador e moscas-tsé-tsé. Gatos pareciam ser seus animais favoritos. Ele os admirava por sua independência e pelo fato de que eles eram os únicos animais que conseguiam ludibiar o chicote humano.

Twain se recusava a colocar o humano no ápice da criação. Ao contrário, Twain classificava o ser humano como “o animal mais baixo. O homem é o animal cujo rosto cora de vergonha. Ele é o único que o faz ou tem motivo para o fazer”.

Twain escreve sobre crueldade com animais em vários contextos, criticando por exemplo a insensibilidade na exploração de animais em esporte ou entretenimento. Twain pode ter sido o primeiro americano a chamar atenção para a brutalidade das rinhas de galo, que ele descreve em detalhes gráficos.

Ele também expressou desprezo pela caça e escreveu apaixonadamente contra touradas no pequeno romance A Horse’s Tale (Estória de um Cavalo). Ele também escreveu um perfil do fundador da ASPCA, Henry Bergh, um ano após a fundação da organização, no qual ele testemunhou e relatou o protesto que Bergh fez contra o gerente de um teatro sobre o modo como o animal era tratado em uma peça.

Mas de todas as formas de crueldade animal contra as quais Twain se manifestou, foi contra a vivissecção que ele teve mais impacto e pela qual ele é lembrado em seu ativismo pelos animais.

Fonte: http://www.anda.jor.br/2009/12/07/o-escritor-mark-twain-foi-um-dos-precursores-do-movimento-de-defesa-animal-nos-eua/

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

CARA DE BICHO - RS: Último evento de 2010 - Projeto Castração de Anima...

CARA DE BICHO - RS: Último evento de 2010 - Projeto Castração de Anima...: "REPASSEM PARA SEUS CONTATOS!!!!!! Mais uma oportunidade para castrar seu bichinho de estimação ou APADRINHAR A CASTRAÇÃO DE UM B..."

CARA DE BICHO - RS: MUMU, fêmea 4 anos, grande porte

CARA DE BICHO - RS: MUMU, fêmea 4 anos, grande porte: "PORTO ALEGRE/RS - Eu sou a MUMU. Castrada, vacinada e fofa. A Lene me garantiu que vou passar o Natal numa família. Eu acredito nela. Não ..."

EM DEFESA DOS ANIMAIS: Tenho medo, cuida de mim! POSSE RESPONSÁVEL‏

EM DEFESA DOS ANIMAIS: Tenho medo, cuida de mim! POSSE RESPONSÁVEL‏: "Pessoal, quem de uma forma ou outra, está envolvido na proteção, conhece o caos em finais de ano. Durante todo o ano o abandono de animai..."

EM DEFESA DOS ANIMAIS: Tenho medo, cuida de mim! POSSE RESPONSÁVEL‏

EM DEFESA DOS ANIMAIS: Tenho medo, cuida de mim! POSSE RESPONSÁVEL‏: "Pessoal, quem de uma forma ou outra, está envolvido na proteção, conhece o caos em finais de ano. Durante todo o ano o abandono de animai..."

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Tenho medo, cuida de mim! POSSE RESPONSÁVEL‏

Pessoal, quem de uma forma ou outra, está envolvido na proteção, conhece o caos em finais de ano. Durante todo o ano o abandono de animais já é exorbitante, mas nos finais do ano o número triplica!!!

Muitos vão viajar e deixam seus animais. Eles se veem sozinhos e saem a procura dos donos, fogem e se perdem.

Outros têm pavor de fogos, também fogem... e não conseguem mais voltar para casa.

Cuidados básicos: "IDENTIFICAÇÃO"

- Coleira com nome, endereço e telefone.

- Colocar algodão nos ouvidos dos bichos em dias de foguetório.

- Deixar o animal em lugar seguro, que tenha ventilação, NUNCA AMARRADO, pois eles se enforcam.



quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

NOVA LETRA DA CANÇÃO INFANTIL

DELETEM A ANTERIOR E AJUDEM A DIVULGÁ-LA!
JANAINA GOMES:
---------------------------------------------------------------------
Não atire o pau no gato (to-to)

Porque isso (sso-sso)
Não se faz (faz-faz)
O gatinho (nho-nho)
é nosso amigo (go-go)
Não devemos maltratar os animais
JAMAIS!!!

Realmente a letra original é um total absurdo, desde criança eu nunca entendi isso e absurdo maior é continuar como está e ser ensinada até hoje.

Além de tantos preconceitos atribuidos aos gatos, tais como ser traiçoeiros, os pretos dão azar, só gostam da casa e da comida, etc. TODOS SEM O MENOR FUNDAMENTO, ainda existe até hoje essa canção infantil estimulando a violência contra eles. Lamentável...

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

ESTERILIZAÇÃO (CASTRAÇÃO)

A única medida eficaz no controle das populações de cães e gatos (fêmeas e machos) é a esterilização, além de prevenir doenças reduz o número de animais abandonados.
Não é necessário aguardar o primeiro cio das fêmeas. É recomendada que a cirurgia seja feita a partir dos dois meses de idade.
A esterilização deverá ser feita por médico veterinário, e o animal deverá estar sob efeito de anestesia geral.
A esterilização dos machos é mais fácil e mais rápida. Nas fêmeas, a cirurgia consiste na retirada do útero e dos ovários, requer um pouco mais de atenção no pós-operatório.
Após a cirurgia o animal deverá ficar em local adequado para repouso para evitar contaminações. Ministrar as medicações indicadas pelo veterinário e proteger a área da cirurgia, para evitar que o animal lamba ou coce o local da cirurgia.
É importante esterilizar os machos, pois eles deixam de fugir tentando ir atrás de fêmeas no cio. Tem menos necessidade de marcar território com urina, no entanto; continua guardião da casa e da família.
Uma fêmea esterilizada deixa de atrair os machos, não tenta fugir para cruzar e não tem mais cio, ou seja, não menstrua mais.Os animais só copulam para procriação e esse ato não produz prazer sexual. Por isso, depois de esterilizados não desenvolvem nenhum problema com relação à sua sexualidade. Apenas acaba o instinto de procriar.
É mito falar que os animais fiquem obesos após a esterilização.

ESTERILIZAÇÃO (CASTRAÇÃO)

A única medida eficaz no controle das populações de cães e gatos (fêmeas e machos) é a esterilização, além de prevenir doenças reduz o número de animais abandonados.
Não é necessário aguardar o primeiro cio das fêmeas. É recomendada que a cirurgia seja feita a partir dos dois meses de idade.
A esterilização deverá ser feita por médico veterinário, e o animal deverá estar sob efeito de anestesia geral.
A esterilização dos machos é mais fácil e mais rápida. Nas fêmeas, a cirurgia consiste na retirada do útero e dos ovários, requer um pouco mais de atenção no pós-operatório.
Após a cirurgia o animal deverá ficar em local adequado para repouso para evitar contaminações. Ministrar as medicações indicadas pelo veterinário e proteger a área da cirurgia, para evitar que o animal lamba ou coce o local da cirurgia.
É importante esterilizar os machos, pois eles deixam de fugir tentando ir atrás de fêmeas no cio. Tem menos necessidade de marcar território com urina, no entanto; continua guardião da casa e da família.
Uma fêmea esterilizada deixa de atrair os machos, não tenta fugir para cruzar e não tem mais cio, ou seja, não menstrua mais.Os animais só copulam para procriação e esse ato não produz prazer sexual. Por isso, depois de esterilizados não desenvolvem nenhum problema com relação à sua sexualidade. Apenas acaba o instinto de procriar.
É mito falar que os animais fiquem obesos após a esterilização.

Notícias do cão no presépio - Criciúma/SC

Cão no Presépio - Não é montagem é real
Era apenas
um presépio de praça...

Mas aconteceu...
Foi em Criciúma, Santa Catarina.
Ele chegou, se aconchegou e adormeceu...
Na palha da manjedoura...
No colo do Menino...
E os anjos disseram amém.


A Lenita Antoniolli, seguidora deste blog, ligou para a prefeitura de Criciúma/SC perguntando sobre a cão da foto. Eles foram muito atenciosos e prestativos , informando que este cão dormia nesta praça a mais de 30 dias e depois que a prefeitura montou o presépio ele passou a dormir direto na cama de Jesus. Foi adotado semana passada por um casal que mora na frente da praça, está bem, castrado e muito feliz. Esse teve um ótimo Natal!!!!!!!

O TÁXI DOG POA

Você sabe o que é um serviço de táxi dog?



Conheça o:


Serviço diferenciado e de qualidade que realiza o transporte de cães com segurança, carinho, atenção e cuidado.

O Táxi Dog PoA busca e leva seu cão para banho e tosa, viagens para interior e litoral, mudanças, hotel para cães, aeroporto e outros locais.

* Para sua comodidade, o transporte pode ser agendado com antecedência.

O Táxi Dog PoA atende Porto Alegre/RS e região metropolitana, além de realizar viagens para litoral e interior.


O Táxi Dog PoA possui veículo equipado com caixas de transporte individuais, próprias para animais de diferentes portes. Seu cão é transportado em ambiente limpo, seguro e confortável.

Pensando na saúde e bem estar dos nossos clientes - os animais - o Táxi Dog PoA - transporte bom pra cachorro utiliza o produto HERBALVET T.A. na higienização e desinfecção do veículo e das caixas de transporte. Para a escolha do produto mais adequado contamos com a indicação de uma médica veterinária.


Conforme a Ourofino, fabricante do HERBALVET, este produto é indicado na desinfecção e desodorização de ambientes em geral, clínicas e hospitais veterinários, canis, gatis, etc; e ainda em mesas de atendimento e cirúrgicas, instrumentais cirúrgicos, lâminas de tosa, aventais e outros materiais. HERBALVET T.A. possui ação bactericida, fungicida e viricida, não é corrosivo, não mancha tecidos e é altamente seguro.

Oferecer um serviço de qualidade, que garanta atendimento satisfatório aos animais e seus proprietários é sempre o objetivo do Táxi Dog PoA - transporte bom pra cachorro. Proporcionar aos animais segurança, carinho, atenção, cuidado, higiene e conforto durante o transporte, garantindo a tranquilidade dos proprietários: esse é o eixo condutor do nosso trabalho!

Para mais fotos do nosso veículo, clique aqui.

Veja alguns depoimentos sobre o serviço do Táxi Dog PoA - transporte bom pra cachorro, clicando aqui!
AGORA PODE CONTATAR TAMBÉM PELO MSN: taxipet2@hotmail.com

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

S.O.S DOGS - RS

A REALIZAÇÃO DE UM SONHO, QUE CONTA COM A PARTICIPAÇÃO CONSTANTE DE MUITAS PESSOAS, PARA PODER TORNAR-SE REALIDADE TODOS OS DIAS
.
No início do ano de 2007, não sabíamos pra onde levar os cerca de 200 cães que moravam num sítio em Belém Novo, mas que estavam sob ordem de despejo.
Um grupo de pessoas se uniu com o objetivo de achar donos responsáveis para cada um deles, e um abrigo digno p0ara protegê-los, enquanto esse dia não chega.



Parceiros foram se agregando a nós, e logo adquirimos um sítio, num lugar lindo, e canis foram cuidadosamente projetados e construídos.


São 3 módulos compostos por 8 ou 10 boxes, com saída para 2 pátios: um com sol, outro com sombra, de forma a possibilitar que os cães possam se deslocar, conforme sintam frio ou calor.


Há uma vegetação exuberante, que além da sombra, trazem paz e bem estar.


Nossos amigos peludos são alimentados e cuidados por um funcionário, e um veterinário oferece orientação e cuidados médicos necessários.


Tudo isso só pôde ser realizado porque pudemos contar com a generosidade de pessoas que, com muito ou pouco, recursos financeiros ou com seu trabalho, se dispuseram a realizar, concretamente, algo pelos animais abandonados.


Hoje, temos 93 cães sob a nossa guarda, esperando adoção. Requerem cuidados, alimentação, remédios, o aprimoramento e a manutenção constantes da estrutura.

Agradecemos aos nossos amigos colaboradores que nos ajudaram, aos que continuaram nessa luta conosco, e gostaríamos de convidar aqueles que agora estão conhecendo este trabalho, que venham agregar seus esforços aos nossos- adotando um animalzinho ou adotando virtualmente algum deles, de forma a nos ajudar a prover seu sustento.

Contatos:
wladimir.santos@uol.com.br – Fone (51) 9326.9595 (gestor)
carmem.julieta@pop.com.br - Fone: (51) 3019.4598 / (51) 9250.9322 (doações financeiras ou ração)
cintia.rockenbach@uol.com.br – Fone (51) 9166.5275

http://www.sosdogs.we.bs/

domingo, 12 de dezembro de 2010

Alergia em Cães

‘Alergia em cachorro’ é difícil de saber a causa

A alergia é uma patologia que vem crescendo muito nos cães.

Atualmente elas correspondem a cerca de 70% dos casos dermatológicos e, muitas vezes, o diagnóstico é trabalhoso. Não é possível diagnosticar alergia de forma confiável através de um exame laboratorial, como os veterinários fazem com tantas outras doenças dermatológicas, tais como as dermatites parasitárias (sarnas), as dermatites fúngicas (micoses), as neoplasias, as doenças autoimunes e tantas outras.

O que ocorre, na maioria das vezes é, que, muitos TUTORES saem frustrados da consulta com o especialista em dermatologia, comentando: “Mais um que não sabe o que meu cachorro tem”.

Um diagnóstico confiável é baseado na exclusão de demais dermatopatias pruriginosas – doenças que causam coceira – e, uma vez confirmado a alergia, deverá ser excluídas as diversas causas alérgicas. Isto, na maioria das vezes, gera frustração tanto ao tutor do cão quanto ao médico veterinário. Às vezes o tutor já consultou inúmeros profissionais da medicina veterinária antes de chegar a um especialista e quer uma resposta simples e objetiva que resolva o problema do seu amigo de 4 patas. Por outro lado, os especialistas, também se frustram ao perceber o semblante desanimador do proprietário, pois o mesmo terá que passar por várias etapas antes de descobrir o tipo de alergia que se desenvolve em seu cachorro e, em certos casos, ele terá que lidar com algo incurável por toda a vida.

A primeira etapa consiste na eliminação de pulgas, ectoparasitas, piolhos e carrapatos. Uma vez feito isso, deverá ser eliminado – EM TESE – os alimentos possivelmente envolvidos na alergia do cachorro e, isto, exige muita paciência e dedicação por parte dos tutores, pois terão que oferecer alimentos caseiros ao cão por um longo período, que varia entre 60 e 90 dias, e remover todos os alimentos industrializados da sua dieta, chamada de eliminação. Esta dieta é uma etapa fundamental para se excluir alergia alimentar, e não pode ser negligenciada. Os ingredientes são escolhidos pelo profissional veterinário com base naquilo que o animal nunca tenha ingerido anteriormente. A adesão a este protocolo é fundamental para ser concluída a alergia que o ‘fiel amigo’ tem de fato.

Uma vez feito isto e não havendo melhora clínica terá a conclusão que se trata de uma dermatite atópica, também chamada de alergia a inalantes ambientais, pelo qual é incurável, exigindo um tratamento permanente no cachorro.

Fonte: Portal da Cinofilia

sábado, 11 de dezembro de 2010

LIBRAPAI - Liderança Brasileira dos Protetores de Animais Independentes Voluntária, como você

O que é LIBRAPAI?

Criada por iniciativa de Erasmo de Oliveira, LIBRAPAI é uma corrente de pensamento, que visa unir os protetores de animais independentes de todo o Brasil, em torno de uma diretriz única em todo o território nacional, trazendo o sentimento de grupo aos voluntários anônimos de todas as partes.

Qual é o objetivo da LIBRAPAI?

Fazer com que cada lar brasileiro adote um ou dois animais de estimação, cuidando corretamente deles. Para isso, a LIBRAPAI procurará incentivar e coordenar ações em bloco, visando a realização massiva de campanhas de adoção consciente e de castração de animais abandonados.

Como aderir à LIBRAPAI?

Não existe uma adesão formal, nem contribuições financeiras. Basta divulgar seu apoio através de todos os meios ao seu alcance (redes sociais, lista de e-mails, telefone, mídias impressas, etc) e participar ativamente das campanhas promovidas pela LIBRAPAI.

A LIBRAPAI possui algum vínculo institucional?

Por sua própria natureza virtual, a LIBRAPAI dispensa patrocínios formais e não possui nem apoia qualquer tipo de vínculo político, religioso ou filosófico. É uma corrente de voluntários, que visa apenas coordenar nacionalmente as ações de grupos e de indivíduos, segundo uma diretriz unificada.

Como são divulgadas as ações da LIBRAPAI?

Através do site www.erasmodeoliveira.org e da comunidade LIBRAPAI no Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=108923813 - Todos os voluntários que desejarem receber notícias da LIBRAPAI, devem se tornar membros da comunidade e visitar regularmente o site. A LIBRAPAI não envia e-mails em massa nem repassa mensagens. Nossos únicos canais de divulgação são o site e a comunidade.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Cão no Presépio - Não é montagem é real

Era apenas
um presépio de praça...

Mas aconteceu...
Foi em Criciúma, Santa Catarina.
Ele chegou, se aconchegou e adormeceu...
Na palha da manjedoura...
No colo do Menino...
E os anjos disseram amém.

Como fazer um cachorro parar de comer fezes

Os cachorros comem absolutamente qualquer coisa, incluindo suas próprias fezes e de outros animais. Por mais que pareça nojento, isso é comum o suficiente para ter um nome médico: coprofagia, do grego kopros (estrume) e fagos (aquele que come).

Sim, é um tópico desagradável, mas você tem que saber que a coprofagia às vezes é natural e normal. Filhotes recém-nascidos ainda não sabem evacuar sozinhos, então a mãe os lambe para estimular e eliminação de urina e fezes e para fazer a higiene. Em outras circunstâncias, a natureza vai tentar evitar que todo esse lixo seja desperdiçado. Os gatos precisam de uma dieta muito mais rica em gordura do que os cães. Isso significa muito mais gordura em suas fezes. Qualquer um que tenha cães e gatos juntos sabe que o cachorro adora fuçar a caixa dos gatos à procura dessa sobra de nutrientes em suas fezes.

Quando cães adultos comem suas próprias fezes a história é diferente. Geralmente é um sinal de solidão ou tédio, apesar de que por erros de adestramento, às vezes eles associam a presença de fezes com a punição e comem-nas para evitar broncas. Na verdade, a coprofagia não representa nenhum risco para o cachorro, a não ser no caso da presença de ovos de parasitas. Você pode quebrar o hábito reduzindo a solidão e o tédio do cachorro, dando a ele mais atenção e exercícios, alternando seus brinquedos. Outra dica é dar comida mais de uma vez ao dia, de maneira que ele tenha pelo que esperar.

A prevenção é a única cura. Recolha as fezes imediatamente ou use uma focinheira em cães coprofágicos ao andar em locais públicos. Coloque a caixa dos gatos em locais onde ele não consiga enfiar o focinho. Você também pode procurar mantê-la limpa, recolhendo as fezes dos gatos várias vezes ao dia, especialmente antes e após as refeições felinas.

Quando chamar o veterinário

Assim que constatar esse comportamento, leve seu amigo para uma consulta com o veterinário, pois pode haver uma causa física para a coprofagia. Uma barriga cheia de vermes ou outros parasitas pode roubar nutrientes vitais do organismo do Rex, fazendo com que ele coma qualquer coisa em que possa encontrá-los. Também pode haver uma deficiência nutricional em sua dieta. Adicione levedura de cerveja em sua comida para aumentar o consumo das vitaminas B. Abóbora ou cenoura crua acrescentam fibras à dieta e ajudam a dar saciedade. Em alguns casos, o problema pode ser resolvido simplesmente trocando a ração por uma com maior quantidade de gordura, fibra ou proteína. Seu veterinário pode recomendar uma marca de ração mais apropriada às necessidades nutricionais do seu cachorro.
Fonte http://casa.hsw.uol.com.br/como-resolver-problemas-comportamentais-dos-caes5.htm

DIA INTERNACIONAL DOS DIREITOS ANIMAIS, DIDA 2010... EM PORTO ALEGRE VAI SER NO PEDAL.

Próximo sábado, dia 11, à tarde, mais uma edição do Pedala Pelos Animais marcando o Dia Internacional dos Direitos Animais 2010 em Porto Alegre.
Duas causas nobres reunidas: a bicicleta como meio de transporte que torna a cidade melhor para todos e os direitos animais, nossa luta constante e necessária.

O GAEPOA convida a todos para uma participação ativa neste DIDA, seja pedalando, seja recebendo os pedalantes.



O trajeto inicia na Rua da República, 163 (em frente ao Entreato), se dirige à Usina do Gasômetro e retorna ao local, onde haverá sorteio de brindes veganos, um estímulo ao consumo consciente, e haverá uma provinha de uma das delícias do Café Bonobo.

Os primeiros 30 inscritos a partir das 16:15 no local ganharão uma linda camiseta, gola careca, com a estampa acima, desenho de Luciano Barbosa, especial para o evento. Depois, só comprando...

Se chover (muito), adiado para domingo. Se chover pouco, celebraremos o frescor da chuva. Se chover muito no domingo, transferimos o evento fazendo-o coincidir com a
massa crítica especial de dezembro, antecipada.
Para confirmar se o passeio sai, ligue para 99799205 ou 32229698 com Albert.

Maiores detalhes sobre o DIDA, no site do GAE aqui ou pelo e-mail gae.portoalegre@gmail.com

Até sábado, pessoal!


E, Neste Natal, não esqueçam da nossa campanha:

NESTE NATAL, NÃO COMA O PRESÉPIO!
...e nos outros dias também não. Torne-se Vegano.

PRESENTES DE NATAL: Um jeito criativo de presentear e ainda ajudar a natureza

PRESENTES DE NATAL: Um jeito criativo de presentear e ainda ajudar a natureza

Com a chegada do Natal todo mundo fica num dilema. A lista de amigos e parentes parece maior do que o orçamento para a compra dos presentes. Nessa hora a criatividade faz muita diferença.

A Tudo Colorido é uma marca de produtos artesanais que está encantando o mercado com diversos itens de decoração, acessórios e artigos de utilidade que têm tecidos coloridos como base.

Como diz sua proprietária Emanuela Fabro, “acreditamos na simplicidade como um princípio de vida e isso se reflete em nosso design. Cada produto tem a proposta de ser alegre e de excelente qualidade, porém muito simples. Esse é o principal diferencial”.

Para este Natal, a Tudo Colorido lançou uma peça que está fazendo muito sucesso. São meias de Papai Noel tematizadas com pinheirinhos, gatos ou cães. “Se você recheá-las com chocolates, sabonetinhos perfumados ou outras lembrancinhas terá um presente carinhoso e criativo”, diz Emanuela.

Quando você compra a natureza também ganha um presente

A Tudo Colorido está engajada no movimento de proteção animal. Parte de tudo o que é vendido é aplicado para ajudar cães e gatos abandonados ou vítimas de maus tratos.

Um destes animais é o simpático Vitinho, que aguarda adoção há cerca de um ano. Ele foi encontrado debilitado e desnutrido. Hoje é um cão feliz, alegre e brincalhão. “Toda vez que alguém compra um produto da marca Tudo Colorido, pode estar certo de que estará contribuindo com hospedagem, alimento ou remédio para algum bichinho necessitado”, afirma Emanuela.

Como comprar
Acesse o site www.tudocolorido.com.br ou entre em contato pelo e-mail emanuelafabro@gmail.com. Entregas em todo o Brasil pelos Correios.

Fonte: http://www.plenamulher.com.br/dicas.asp?ID_DICAS=1556

A delegacia verde - Rio Grande do Sul

Crimes ecológicos que exigem longa investigação serão direcionados para DP

Porto Alegre –Desde 29/11, crimes ambientais recebem maior atenção no Rio Grande do Sul. Sob o comando da delegada Elisangela Melo Reghelin, a primeira Delegacia de Polícia de Proteção ao Meio Ambiente (Dema) abriu as portas na Rua Marquês do Pombal, em Porto Alegre. Ligada ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), a unidade deve permitir a elaboração de inquéritos técnicos e especializados no assunto.

Como é de praxe do Deic, os crimes que devem ser encaminhados para a Dema, órgão da Polícia Civil, são aqueles que exigem longa investigação. Ocupações irregulares, aterros sanitários, lixões, resíduos da construção civil e poluição hídrica estão entre os temas a serem investigados. A delegada Elisangela, que foi empossada em 29/11, contou que quem costumava investigar esses casos eram as delegacias distritais e alguns promotores públicos. Com a instalação, todos poderão trabalhar em conjunto e colher melhores resultados.

Para Júlio Almeida, promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual, o novo órgão surge para somar forças e aprimorar o trabalho que já estava sendo realizado. Na semana anterior, o próprio Ministério Público deu o primeiro passo em um projeto piloto também para a área ambiental. A Promotoria Regional de Defesa do Meio Ambiente, com sede em Gravataí, deve atuar especialmente nas bacias dos rios do Sinos e Gravataí.

Delegada há 11 anos e também professora da Unisinos, Elisangela se considera uma apaixonada pela causa. Como diretora de ensino da Academia de Polícia, entre 2008 e 2010, trouxe o crime ambiental para a pauta dos alunos e, neste ano, trabalhou em um curso de aperfeiçoamento para policiais civis que rodou o Estado. Para ela, o trabalho em conjunto com entidades da sociedade civil e órgãos públicos como o Instituto Geral de Perícias, a Brigada Militar, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental, a Polícia Federal e o Ministério Público são fundamentais:

– Se queremos ser um país desenvolvido, não podemos apenas construir sem pensar nos impactos. Por isso, a sociedade precisa entender que os crimes ambientais têm gravidade e necessitam ser combatidos – diz a nova delegada.

Fonte: O Pioneiro


Calor excessivo pode levar cães à morte

Se você anda incomodado com o calor lá fora, imagine o seu amigo de quatro patas com toda aquela camada de pelos? “Os cachorros não transpiram pela pele como os humanos”, explica o diretor clínico do Hospital Veterinário Pet Care, Marcelo Quinzani. “Eles perdem calor pela respiração e transpiram pelos coxins plantares (localizados na sola das patas) e pelas narinas. Como essa área é muito pequena em relação à extensão do corpo, ela é insuficiente para manter a temperatura corpórea próxima da temperatura normal”, explica o diretor clinico do Hospital Veterinário Pet Care, Marcelo Quinzani.

Segundo o médico veterinário, quando o cão é exposto a altas temperaturas, ou a estresses e atividades intensas em dias muito quentes, sua temperatura interna pode ultrapassar os 40ºC e é aí que o cachorro pode apresentar hipertermia, quadro que pode provocar convulsões, diarréia, vômitos e levar à morte.

Os sintomas da hipertermia são: respiração ofegante, hipersalivação, temperatura acima de 40°C, mucosas avermelhadas, taquicardia, arritmias cardíacas, vômitos, muitas vezes com sangue, diarréias também com sangue, manchas e hematomas dispersos pelo corpo, alterações mentais, convulsões, tremores musculares, dificuldade de locomoção e falta de coordenação motora, diminuição ou ausência da produção de urina, coma e parada cardiorrespiratória. “A hipertermia é uma condição gravíssima que requer tratamento médico imediato. Uma vez que os sinais clínicos desse quadro são identificados, existe um tempo extremamente curto para ser revertido, diz Quinzani.

Independente da raça, todos os cães estão predisposto a essa patologia se submetidos a condições ambientais desfavoráveis de calor e umidade. Porém, cães com focinhos curtos como bull dog, boxer, pug, lhasa apso, shi tsu, boston terrier entre outros, estão mais suscetíveis ao problema. “Anatomicamente já são desfavorecidos de um aparelho ‘refrigerador’ adequado”, explica o veterinário.

Emergência: saiba como proceder

Aos primeiros sinais clínicos de hipertermia o animal deve ser retirado imediatamente do ambiente quente, colocado sob refrigeração ou ventilação adequada. “Molhar o animal com um borrifador e toalhas frias também auxilia no processo de refrigeração. Porém, não se deve submergir o animal em água fria, pois isso leva a vasoconstrição periférica dificultando ainda mais a dispersão de calor. É preciso também procurar imediatamente um médico veterinário”, diz Quinzani.

Confira as dicas preventivas:

1. Evite passeios e esforços físicos em dias quentes e úmidos.

2. Não deixe o animal preso dentro do carro, mesmo com vidros abertos.

3. Não deixe o animal em ambientes fechados ou sem acesso à sombra e água fresca.

4. Não dê banhos com água quente e secadores quentes no verão.

5. Não submeta o animal a situações de estresse psicológico que o deixe ofegante por medo ou insegurança.

6. Evite esforços ou condições desfavoráveis para animais obesos ou que tenham anatomicamente alguma dificuldade respiratória.

7. Evite a contenção forçada do animal e uso de focinheira em ambientes quentes e fechados.

Fonte: http://colunas.criativa.globo.com/bicharada/2010/12/08/calor-excessivo-pode-levar-caes-a-morte/

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Cuidados com o gato filhote

Que alegria um bebê felino em nossa casa!

Você acaba de adquirir um gatinho lindo que vai lhe fazer companhia durante muitos anos e para que essa relação seja maravilhosa, é importante saber quais as necessidades e os cuidados que seu gato vai exigir durante os primeiros meses de vida. Segue aqui um guia com dicas de alimentação e manejo que será útil para que você entenda melhor o seu gato e estabeleça com ele uma convivência harmoniosa.

Alimentação:

Gatos são super seletivos quanto à alimentação. Tente continuar oferecendo a mesma ração que o seu filhote já comia anteriormente. Depois você poderá mudar de ração aos poucos para não causar nenhum estresse ao animal. Essa mudança deve ser gradual. Comece oferecendo em maior quantidade a ração antiga e aos poucos vá aumentando a quantidade da ração nova, até que ofereça apenas a nova. Caso você desconheça a ração que ele comia antes, ofereça a nova ração em pequenas quantidades facilitando dessa forma a adaptação do animal ao novo alimento.

(Lembre-se: Filhotes deverão comer ração para filhotes até 1 ano de vida. São rações balanceadas especialmente para garantir um bom desenvolvimento muscular, ósseo, além de promover uma pelagem bonita e etc.)

Deixe sempre água fresca a disposição do seu gato e troque essa água regularmente. Gatos gostam de limpeza, por isso mantenha os recipientes de água e comida sempre limpos e longe da liteira.

Cuidados com o gato filhote

Liteira:

Liteira é o nome dado à bandeja sanitária do gato, local onde ele fará suas necessidades. Deve ser limpa diariamente. O gato tem o hábito de cavar e esconder seus excrementos, por isso escolha uma caixa de bordas altas e encha a liteira com uma areia sanitária própria para gatos. A areia deve ser substituída em média 3 vezes por semana, mas isso vai depender da qualidade da areia. Existem várias marcas e preços que diferem na capacidade de absorção da areia. Se você tiver mais de um gato, é melhor que tenha mais de uma bandeja sanitária.

Cama:

Gatos gostam de dormir em um local confortável. Você pode adquirir uma caminha em lojas especializadas ou colocar uma caixa de papelão com algum acolchoado que ele também vai adorar! Mantenha a caminha em um local limpo e sem correntes de ar.

Brinquedos:

Seu gatinho vai brincar com tudo o que ele achar pela frente. Existem vários brinquedos para gatos disponíveis em pet shops, mas uma simples bolinha de papel ou um novelo de lã farão muito bem esse papel e, o melhor, sem gastos! É importante que você ofereça estes brinquedos apenas quando estiver perto do animal para evitar que ele engula fiapos de lã ou pedaços de papel.

Coleira:

É sempre bom acostumar o seu gato desde filhote com uma coleira que pode ser de um material leve e elástico. A coleira serve para identificar o seu animal em caso de perda ou acidente.

Arranhadores:

São importantíssimos, pois permitem que o animal gaste as suas garras em um local apropriado para isso, evitando assim arranhar móveis, sofás, cortinas... Tenho certeza que você concordará comigo!

Vacinas:

Este sem dúvida é o principal cuidado que você deverá ter com seu gato filhote, pois evitará que ele contraia doenças que muitas vezes são fatais por difícil tratamento. Prevenir é sempre melhor que remediar.

Gatos filhotes são como crianças que precisam aprender tudo principalmente os limites, ou seja, aquilo que podem ou não pode fazer. Ao fazer alguma coisa errada repreenda o seu gato imediatamente para que ele possa associar a bronca ao que foi feito e não repetir mais.

Fonte: http://bbel.uol.com.br/variedades/post/cuidados-com-o-gato-filhote.aspx

Homem cria 70 cães e 20 gatos em casa em Porto Alegre (RS)

publicado em 07/12/2010 às 07h57:
Animais estão sem comida e remédios e dono pede ajuda

O que começou como caridade se transformou em dor de cabeça para um homem que vive na periferia de Porto Alegre (RS). O dono de casa Paulo Amaral conta que começou a cuidar de cães e gatos do bichos conforme eles foram aparecendo na porta de casa. Ele disse que já chegou a recolher animais quase mortos no meio da rua.

Atualmente, ele tem em casa de 70 cães e 20 gatos. Agora, para o Natal, ele precisa da doação de remédio e comida, pois muito dos animais estão passando fome.

Assista ao vídeo:



Fonte: http://noticias.r7.com/cidades/noticias/homem-cria-70-caes-e-20-gatos-em-casa-em-porto-alegre-rs-20101207.html

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Égua percebe que companheira é cega e vira guia dela

PARA QUEM AINDA ACHA QUE ANIMAIS NÃO TEM INTELIGENCIA NEM SENTIMENTOS:
Égua percebe que companheira é cega e vira guia dela
Uma dupla virou sensação do santuário The Horse Trust, em Buckinghamshire (Inglaterra). A égua Tarna (marrom), que só tem uma vista, virou guia da companheira Angel, que é cega.

Tarna, que sofreu acidente e perdeu uma vista, leva Angel para todos os lugares e a mantém longe dos perigos. Também é Angel quem consegue alimentos para a companheira.

“A amizade delas é fora do comum. Como Tarna sabe que Angel é cega nós nunca saberemos. Ela guia Angel para todos os lugares. Elas estão juntas todo segundo, são inseparáveis”, disse Susan Lewis, diretora de marketing do santuário, segundo o site “Small World”. O Horse Trust funciona desde 1886.
tutor

O antigo tutor de Angel, o fazendeiro James Gray, foi punido severamente. Por negligência dele, a égua, deixada faminta, ficou cega. James recebeu multa equivalente a 1 milhão e meio de reais e nunca mais poderá criar cavalos.

Fonte: Page Not Found

A história de palito, comovente!!!‏

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Gatos: como conseguem voltar para casa depois de sumir?

A misteriosa volta dos gatos para casa depois de um longo período de ausência tem algumas explicações. Saiba quais são:

Alguns comportamentos dos gatos intrigam muita gente. Um deles é a capacidade de voltar para casa depois de desaparecer por algum tempo, mesmo quando o felino nunca tinha percorrido antes os caminhos que podem conduzi-lo até a habitação. Esses retornos ocorrem, por exemplo, com gatos que saem para dar uma volta e desaparecem por meses ou anos. Ou quando os donos, infelizmente, cometem o crime de abandonar o felino em algum lugar distante. Ou, ainda, quando os donos mudam de casa, o gato desaparece e é encontrado nas proximidades do antigo endereço.

Embora muitos acreditem que os gatos possuam capacidades extrassensoriais, existem pesquisas, observações e estudos que apresentam justificativas muito mais normais para esse fenômeno, as quais explicarei neste artigo.

Memória visual
A capacidade de observar o ambiente e de memorizá-lo é enorme nos gatos. São animais bastante visuais, capazes de reconhecer árvores, prédios, praças. Basta encontrarem algo que reconheçam para, a partir daí, conseguirem se orientar e voltar para casa.

Memória olfativa
Mesmo quando estão em um lugar onde não enxergam nada conhecido, muitos gatos conseguem voltar para casa, ajudados pela memória olfativa. Essa é a capacidade dos animais que mais nos impressiona, pois o olfato humano chega a ser ridículo quando comparado com o deles, inclusive do gato.

Casas, ruas, regiões, cidades, etc., possuem alguns cheiros específicos. Muitos desses odores podem ser reconhecidos pelos gatos e servir para orientá-los quando perdidos. São capazes de se guiar por cheiros conhecidos até chegarem a algum lugar que reconheçam visualmente, e, a partir daí, usarem a memória visual para completar o percurso.

Gatos que percorrem grandes distâncias durante o dia acabam conhecendo diversos cheiros da região e se familiarizando com eles. Mas mesmo os gatos que praticamente não saem de casa recebem uma enorme amostra dos odores existentes à volta deles, alguns trazidos de longe pela brisa e pelo vento. E, cada vez que o vento muda de direção, outros cheiros podem ser sentidos, dando a possibilidade de formar uma ampla memória olfativa.

Não basta reconhecer um cheiro para chegar ao lugar desejado. Depois de identificado o odor, é preciso saber para qual direção caminhar. Os gatos se deslocam de um lugar para outro e, assim, podem testar se a concentração do cheiro conhecido aumenta ou diminui, decifrando rapidamente de onde ele vem. Moléculas de determinados odores podem viajar por centenas de quilômetros e, se tiverem concentração suficiente para serem percebidas, poderão ser utilizadas para localizar o caminho procurado.

Influência do vento
Às vezes, o cheiro que o gato reconhece só chega até ele quando o vento sopra em um determinado sentido. Nesse caso, ele só conseguirá ir na direção de casa quando o vento colaborar - bastará uma pequena mudança na direção da brisa para ele se perder novamente.

Gato com múltiplos donos!

Muitos gatos demoram a voltar para casa por outros motivos, bem menos angustiantes para nós e para eles. Quando o felino não fica restrito ao ambiente interno da casa, costuma frequentar outros lares. Em vários casos, ele é alimentado e adotado também por diversas pessoas. Alguns gatos tomam café da manhã em uma casa, tiram uma soneca em outra e jantam em mais outra. Imagine que o seu gato não esteja com coleira de identificação e que um dos outros donos resolva prendê-lo dentro de casa para, por exemplo, evitar que continue se machucando em brigas na rua. Você achará que ele foi embora, morreu, etc.. Normalmente nem imagina que ele possa estar na casa do vizinho da rua de cima! Depois de alguns meses, o gato escapa ou resolvem deixá-lo passear. Aí, para sua surpresa, ele surge novamente.

Um gato mais poderoso no bairro pode restringir o acesso do seu, inclusive à sua casa. Se isso acontecer, o seu gato poderá ficar frequentando outros locais até o mandachuva morrer, perder o poder ou mudar de área.



Fonte: Revista Cães & Cia, n. 360, maio de 2009

http://www.caocidadao.com.br/artigos_gatos_lista.php