quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Planejamento aborda redução de carroceiros e carrinheiros - PMPA‏

O Grupo de Trabalho, coordenado pela Secretaria Governança com o objetivo de proteger os animais e reduzir os Veículos de Tração Animal (VTAs) e Veículos de Tração Humana (VTHs) , realiza nesta quinta feira, 27, o planejamento estratégico para organizar ações em 2011. O encontro conta com as participações do Instituto Vonpar, ONG Camp, Cooperativa Unisol Brasil, Banco do Brasil e secretarias municipais.

Os membros do GT estão reunidos no Convento Capuchinos, na rua Paulino Chaves, 291, bairro Santo Antônio. O planejamento estratégico é coordenado pelo diretor executivo do Grupo Vonpar, Léo Voigt. "O objetivo do nosso encontro é integrar governo e sociedade civil, visando articular um pacto de governança propiciando a inclusão social dos carroceiros e desenvolvimento para as Ilhas", disse o secretário adjunto de Governança, Luciano Marcântonio.

Entre os temas abordados no encontro para o estabelecimento das metas estão: geração de trabalho e renda; capacitação profissional; destino dos resíduos sólidos; diálogo com moradores e carroceiros; remoção das famílias das áreas de risco e novas alternativas de renda para carroceiros e carrinheiros.

Fim das carroças: prontos para a mudança‏ - Porto Alegre/RS

Oficinas e cursos preparam moradores das ilhas do Guaíba para a grande virada. Redução gradual dos veículos de tração animal começa em 2013



A carroceira Sueli Soares, 48 anos, da Ilha Grande dos Marinheiros, não sabe ler, nem escrever. Perdeu a visão total do olho esquerdo, mas provou que enxerga longe. Em dezembro, foi diplomada duas vezes em oficinas e cursos de artesanato e de culinária oferecidos pela prefeitura da Capital.



Nas aulas descobriu que, em breve, poderá ganhar mais dinheiro criando objetos de decoração e vendendo ecofio (tipo de fio de náilon feito de sacos plásticos) do que catando material para reciclagem.



– Gostei de participar e de aprender coisas que não sabia fazer – disse Sueli, ao lado da filha Suelen, 12 anos.



- Proibição total em 2016



Nos próximos anos, a vida de sete mil carroceiros, como Sueli, e carrinheiros (puxadores de carrinho) de Porto Alegre deverá mudar. A redução gradual da presença de veículos de tração animal e humana nas ruas da cidade começa em 2013 e terminará em 2016.



Sueli integra um grupo de 300 mulheres que se capacitaram em 2010. O companheiro dela, Antônio Adroaldo Machado, 54 anos, também se prepara para entrar numa nova era.



– Hoje, saio dia sim e dia não, e volto com a carroça cheia. Mas, para ganhar R$ 2, tenho de vender 20 bombonas de água de 5 litros –explica.



- Formação para novos mercados



Este ano, a prefeitura deverá oferecer cursos nas áreas da construção civil e turismo. Homens e mulheres que vivem da coleta diária de material para reciclagem terão a oportunidade de aprender novas profissões.



Em vez de guiar carroças repletas de plástico, vidro e papel, eles vão virar pedreiros, marceneiros, porteiros e camareiras em busca de novos mercados.



- Outros cursos em breve



A conclusão de uma unidade de reciclagem na Vila Farrapos abrirá, em março, cerca de 200 vagas para carroceiros. Outras 17 unidades existentes na Capital serão reestruturadas, para receber os trabalhadores. Além disso, o secretário adjunto de coordenação política e governança local, Luciano Marcantônio, promete implementar os cursos que não saíram do papel. Um fundo para financiar as atividades prevê investimentos de R$ 500 mil. O edital para escolher a empresa que fará o cadastramento das carroceiros será lançado em breve.



- Cooperativa aproveitará mão de obra



Líder comunitária da Ilha dos Marinheiros, Rosemari Menna Barreto, 64 anos, está entusiasmada com o projeto. Apesar da demora na oferta dos cursos, ela sonha com a possibilidade de criar uma cooperativa para absorver a mão de obra formada nas oficinas e cursos. Além de técnicas artesanais, as mulheres aprenderam a fazer bolos e salgados.



– Dá pra ganhar bem mais com artesanato e não ser mais explorado como eles são – garante Rosemari.



Jornalista e técnica contábil, Maria Letícia Azambuja, 63 anos, mora há sete anos na ilha. Há cinco anos, tornou-se carroceira. Ela mostrou arranjos feitos a partir do aprendizado nas aulas e falou sobre as possibilidades do ecofio.



– A linha pode ser usada como costura e até em crochê – ensina.



http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=130939



http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=136843



http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=95542



http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=136802



http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=135957



http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=131188



http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=137194







Outras noticias:



http://2.bp.blogspot.com/_Ym4N4M1GrYg/TI6x23bSYLI/AAAAAAAAAww/sIpT0mCkm7U/s1600/folderAdoteumCavalo+001.jpg

http://solidariedadeanimal.blogspot.com/2010/06/retirada-das-carrocas-das-ruas-sera.html









terça-feira, 25 de janeiro de 2011

PALESTRA: VISÃO ANIMAL – COMO CRIAR E GERIR UMA CAMPANHA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

Sou ativista ambiental desde a década de 1980. Fui um dos primeiros autores do mundo a publicar um livro falando sobre Ecologia, pois abordei a reciclagem de matérias-primas em meu livro de Design Automobilístico (CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS), em 1989. Sei muito bem o que é ter 100% de idealismo e ver a ideia morrer em pouco tempo, por falta de recursos. Fui apoiador local do Dia da Terra (Stanford University) e prestei consultoria e serviços a grandes empresas, como Alcântara Machado, Anhembi Turismo e Eventos, Motorola, Johnson & Johnson, World Trade Center, entre inúmeras outras.

Unindo toda a bagagem profissional que adquiri ao longo de quase trinta anos de trabalho em diversas áreas, criei uma palestra, voltada para empresas e comunidades que desejem implantar um abrangente programa de voluntariado, com visão profissional, autossustentado e baseado em princípios empresariais e de empreendedorismo, ou seja, através desta palestra, as boas intenções individuais podem se multiplicar e se transformar em um trabalho coletivo e eficaz, trazendo bons resultados para os animais e se tornando uma bandeira socioambiental, com resultados de Marketing positivo para quem a promove e/ou dela participa.

Assim, unindo conceitos de diversas áreas, como ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS, MOTIVAÇÃO, ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, GESTÃO DE RH, MARKETING, MEETING PLANNING e AMBIENTALISMO, a palestra aborda questões cruciais para a criação e a sustentabilidade de uma campanha ecológica, a ser implantada em cidades, comunidades ou empresas, tais como:
- Erros mais comuns na atividade voluntária;
- A hierarquia dentro da campanha;
- Motivação do voluntário;
- Sustentabilidade;
- Fases da campanha (implantação, manutenção, resultados);
- Como organizar eventos de adoção, castração e de apoio ao voluntário;
- Como divulgar a campanha;
- Como obter retorno financeiro e de Mídia;
- Como abranger a Ecologia em geral, não apenas a causa animal;

A palestra tem duração prevista de três horas, mostrando aos Seres Humanos como são os sentimentos dos animais, para que sejamos de fato a voz de quem apenas late e mia, ou seja, eles se expressam à maneira deles, nós é que precisamos aprender a traduzir a mensagem, para que possamos entender todos os enormes benefícios da convivência pacífica entre eles e nós. A única exigência técnica para sua realização é um equipamento de voz e um auditório adequado ao número de participantes. O custo da palestra também é bastante razoável (levando-se em conta a carga de conhecimentos transmitidos) e cabe em seu orçamento, de forma a viabilizar a continuidade do meu trabalho.
Se você quiser realmente fazer a diferença, agende em sua cidade uma palestra minha. Sou autor de quatorze livros, tenho uma linha de pesquisa e de pensamento completamente diferenciada do convencional, pois sou autodidata na maioria das áreas em que atuo e já lecionei para milhares de alunos, de todos os níveis e idades. Não costumo colocar preços terminados em 9, o gerente não está louco e meu Marketing atinge apenas um público acostumado a pensar, pois não existe moeda de nove centavos e eu respeito os portadores de doenças mentais. Escolha um dos temas e me contate!

erasmodeoliveira@gmail.com

Cativos e Abandonados

Há tempos escutei de um criador, aliás, um representante da classe dos criadores, que não existe nenhum animal da raça que ele cria abandonado. Palmas, para o nosso herói, que, assim como o Rei Roberto Carlos, nada entende de abandono!
Quando se fala em abandono de animais, logo vem a mente a imagem de um carro parando em um local escuro e deserto, o criminoso abrindo a porta, jogando a vítima para fora e saindo em alta velocidade antes que alguma testemunha tenha tempo de ver sua placa para poder denunciá-lo na delegacia de polícia mais próxima. No dia seguinte um cão ou gato assustado andando pela região ainda a procura do sem caráter que o largou ali.
Mas abandonar não é só jogar o animal na rua. Existem muitos animais que sofrem abandono dentro das casas de seus tutores. Não recebem tratamento veterinário, ficam procriando sem controle, não são vacinados, não tem uma plaquinha de identificação, são isolados do convívio com o grupo, não recebem carinho e atenção, não fazem exercícios físicos, são agredidos, etc, etc, etc.
As aventuras dos Grogan com o travesso Marley renderam muito dinheiro para criadores e pet shops. Labradores são muito fofos quando filhotes, mas são cães com excesso de energia. Requerem muitos exercícios físicos, como longas caminhadas ou brincadeiras na piscina. Caso contrário podem destruir tudo a sua volta. Mas na hora da venda, nem o vendedor nem o comprador pensam nisto. O importante é fazer o negócio. O vendedor sai com o dinheiro no bolso; o comprador com a mercadoria na cor e no modelo desejados. Fala para os amigo: “comprei um Marley”.
A comovente história do fiel Hachiko, um akita que passou o resto da sua vida esperado por seu tutor, também fomentou a irresponsabilidade coletiva. Mais uma vez vemos vitrines repletas de bebês akitas, que parecem ursinhos de pelúcia. Mas vendedor e comprador, não pensam que aquele “ursinho” se transformará num cão imenso, que fará um cocô também imenso, terá uma personalidade peculiar, e que, se o TUTOR não tiver as qualidades necessárias, poderá tornar-se agressivo. Nada disto importa no momento da transação.
Cães tem necessidades básicas que precisam ser atendidas. Caminhadas diárias não são frescura, são necessidade. São importantes para a saúde física e psicológica do animal. Cães descendem de lobos que andam por quilômetros com suas matilhas diariamente. Não atender esta necessidade é abandono, físico e psicológico. Mas quem tem 1 ou duas horas por dia para se dedicar às necessidades do animal?
Cães são animais sociais. Tem necessidade de convívio com seu grupo, seja ele formado por outros cães ou por humanos. Deixar um cão isolado em determinada área da casa ou deixá-lo sozinho em casa é abandono. Abandono psicológico e emocional.
Gatos gostam de um pouco de solidão, mas devotam muito amor e dedicação aos tutores, a ponto de se negarem a comer em casos de ausência prolongada deles. Requerem uma ração de qualidade, pois desenvolvem com muita facilidade problemas urinários. Não dar a eles atenção e carinhos, nem uma ração de boa marca é abandono emocional, psicológico e material.
Lá, quando estava negociando a forma de pagar o cão ou o gato do modelo e marca que queria, o comprador irresponsável não parou para refletir no compromisso que estava assumindo nem no que ele faria caso alguma coisa mudasse em sua vida. Só importava sair da loja com a mercadoria, novinha em folha. Dalí há alguns meses, toma a decisão de morar em um apartamento. Assim como o sofá não caberá na sala nova, o cão ou o gato serão DOADOS para quem queira fazer uso deles. Começa então o trabalho de “passar o animal adiante”. Crente que alguma dessas entidades “que recolhem bicho” ficará encantada em ter um maravilhoso animal de raça para juntar-se aos milhares que ela mal consegue sustentar. Daí, surpreso e ofendido, recebe um sonoro não. Ah, sim e ainda acha que a moça que lhe atendeu foi muito “agressiva”. Ele só perguntou...
Ai, começa a saga de conseguir um novo lar para o animal. Como ele já é adulto, fica mais difícil. Mas finalmente ele consegue. Alguém, já de olho no dinheiro que poderá ganhar “tirando umas crias”, aceita ficar com o cão ou gato. Aliviado, o sujeito deixa o animal na nova casa e nunca mais volta lá para saber como ele está. Ufa, foi por pouco. Quase que ele teve que cometer um crime: o de abandono. Agora ele pode se mudar para o novo apartamento com a consciência limpa. Já está até pensando em comprar um cachorrinho, de pequeno porte, ou um hamster para lhe fazer companhia no seu novo estilo de vida.
"Passar o animal adiante" é abandono, sim. Abandono físico, psicológico e emocional. O cão ou o gato sofrem muito com a separação. Alguns chegam, literalmente, a morrer de tristeza.
Já é tempo de nós, animais humanos, assumirmos a responsabilidade pela domesticação destas outras espécies. Já que as trouxemos para o nosso convívio, devemos dar a elas o que ELAS precisam. Devemos deixar de lado nossa postura egoísta de termos em nossas casas animais para preencherem as nossas carências e necessidades. Precisamos nós, humanos, preencher as necessidades destas criaturas que colocamos em cativeiro. Sim, eles vivem no cativeiro das nossas cidades e sob as regras da nossa cruel sociedade. Eles não estão no habitat deles, estão no nosso. E devemos protegê-los, cuidar deles, dar-lhes todas as condições de serem felizes e equilibrados.
Lembram? “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas” (Antoine de Saint-Exupéry).

Sheila Wehling

Primeira-dama debate políticas de proteção animal - Escritório do Canil Municipal‏ - POA/RS

Encontro aconteceu nesta terça-feira
Foto: Ricardo Stricher/PMPA http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=137633

A primeira-dama, Regina Becker, esteve reunida nesta terça-feira, 25, com representantes de secretarias municipais e integrantes da Coordenadoria Multidisciplinar de Políticas Públicas para Animais Domésticos (Comppad). Durante o encontro, que ocorreu nas dependências do escritório do Canil Municipal, foram discutidos temas relacionados à criação do Fundo de Defesa Animal, a adoção especial para cães agressivos, a busca de parcerias com a iniciativa privada para viabilizar ações de proteção e as políticas públicas de esterilização. (fotos).

Na oportunidade, a primeira dama destacou a importância do papel dos veterinários nas ações da Comppad. “Nosso trabalho é bastante amplo e envolve uma série de setores da sociedade civil e do poder público, mas é importante salientar que o envolvimento e o trabalho de nossos veterinários constitui um ponto vital para o sucesso de nossas ações”, afirmou. Regina Becker também anunciou que o projeto Bicho Amigo, que vai esterilizar animais de vilas populares da Capital, está passando pelos últimos ajustes que antecedem o início das operações.

Imagem da reunião da COMPPAD:

http://www1.portoweb.com.br/portoweb2007/centrozoonoses/images/DSC_0154.jpg

Imagens dos Animais do Canil Municipal:

http://bancodeimagens.procempa.com.br/default.php?v=39

http://www1.portoweb.com.br/portoweb2007/centrozoonoses/index.htm

Fonte: _GP - COMPPAD (comppad@gp.prefpoa.com.br)

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Mal entendido

Leão (ou John) e seu tutor (Foto: Reprodução/Diário de Teresópolis)
As tragédias na região serrana do Rio de Janeiro (RJ) mobilizaram o país por meio das imagens disseminadas pela imprensa. Entre as mais comoventes, a história do cão Caramelo que, desamparado diante da morte de sua tutora, guardou seu túmulo em um cemitério de Teresópolis, por dois dias seguidos. No entanto, a notícia é falsa.

Segundo relato do jornalista Anderson Duarte, do Diário de Teresópolis, ao Portal IMPRENSA, a história de Caramelo não passa de um mal-entendido. Trata-se de dois cachorros parecidos.

O que aparece deitado ao lado do túmulo de Cristina Maria Cesário Santana, sua suposta tutora, na verdade é Leão, e é cuidado, há mais de um ano, por Rodolfo Júnior, voluntário que atua no trabalho de escavação do cemitério de Carlinda Berlim.

“Isso é coisa de repórter que precisava chegar com uma história diferente para apresentar ao chefe… o John é meu há mais de um ano quando fiquei com ele pra mim! O antigo dono foi para o Rio e deixou ele por aí… ele chamava o cachorrinho de Leão, mas eu prefiro John… ele tem cara de John, explicou Junior que ainda disse que seu animal é dócil e o segue por todos os lugares. No dia em que o rapaz tirou a foto dele eu estava trabalhando nas covas e ele ao meu lado como sempre… e aí depois veio essa maluquice toda”, explicou Rodolfo Júnior.

O Caramelo citado em diversas reportagens, de fato, era cuidado por uma família que morreu em decorrência dos deslizamentos. No entanto, jamais entrou no cemitério, que fica a quilômetros do bairro de Caleme, quando foi encontrado perambulando sozinho.

A notícia foi replicada por diversos veículos de comunicação, inclusive a ANDA, e, conforme a história de Caramelo se tornava popular, um novo capítulo era acrescentado.

Entre os absurdos do cão que velou durante dois dias a morte de sua tutora, um se destaca: o de que Caramelo teria, inclusive, auxiliado as equipes de resgate a encontrarem não apenas o corpo de sua tutora, mas de outras três pessoas de sua família.

O desencontro de informações irritou o administrador do cemitério, Márcio de Souza, que chegou a comentar o fato em um dos portais que publicou a história sobre Caramelo.

“É lamentável que tal fato seja utilizado para causar comoção aos leitores! Fui contatado horas antes da notícia ser levada ao ar por um repórter e fui claro ao dizer que o cão da foto ao lado do túmulo é de um de nossos voluntários que no momento faziam sepultamentos naquele local, logo não tem nada a ver com o cão adotado”, finalizou.

Fonte: http://www.anda.jor.br

ajuda para cachorrinha com cancer - Vakinha - vaquinhas online

ajuda para cachorrinha com cancer - Vakinha - vaquinhas online

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

A Espiritualidade dos Animais

Os animais têm instinto apurado e são puros, além da linguagem própria de acordo com cada espécie. Eles são inferiores à raça humana, apresentam a liberdade limitada de ação, pois não têm o livre-arbítrio.
A ciência afirma que os animais têm uma inteligência rudimentar conforme as suas necessidades. Mas a espiritualidade dos animais vai mais além. Eles são seres que agem pelo instinto, seres que amam o ser humano, sentem as energias do ambiente e também humanas, são extremamente sensíveis a tudo que os rodeia.
Será que realmente os animais têm a ligação direta com o outro mundo? Os felinos realmente podem enxergar os mortos e alertar os seus donos sobre uma presença espiritual?
Segundo os testes científicos realizados em laboratórios de Parapsicologia revelam que os animais também podem desenvolver estranhas habilidades paranormais.
Você já teve a impressão de que o seu animal te compreende mesmo sem você falar absolutamente nada? A impressão foi confirmada cientificamente. Alguns animais possuem a hiperestesia indireta, ou seja, faculdade paranormal que eles conseguem perceber as mensagens telepáticas, principalmente de seus donos. A conversa psíquica com os animais pode ser desenvolvida com treinos e para isso já existe a psicoveterinária, isto é, um ramo da Psicologia direcionada aos animais.
Na Antiguidade, os egípcios já acreditavam que os felinos conseguiam ver as almas das pessoas e acessar o mundo dos mortos. Por causa dessa crença, quando um faraó nobre ou um sacerdote falecia, um gato era sacrificado e enterrado com o morto. A sabedoria egípcia dizia que o gato iria despertar na morte e levar o espírito para o além, seu destino final.
Vale lembrar que o gato apresenta a espiritualidade aguçada no olhar, já o cachorro, no focinho.
Os gatos assistem e sentem tudo. Jamais duvidem disso! Eles apresentam uma visão aguçada, podem sentir as energias eletromagnéticas negativas do ambiente, pois sentem o local onde estão, sentem a energia do ódio, da tristeza. Não é a toa que eles têm sete vidas, pois são animais livres, espertos, independentes e caçadores. Eles são considerados bichos sagrados, pois transmitem vida, alegria, amor, energia positiva para as pessoas e afastam as almas trevosas do ambiente, além de apresentar o poder da hipnose.
O cachorro também é considerado um animal maravilhoso para o ser humano. Ele é o verdadeiro amigo do homem, o nosso Anjo da Guarda, pois não tem nenhuma maldade, é um ser puro, age por instinto, ama realmente o seu dono sem nenhum interesse. Ele sente, por exemplo, quando o dono está triste ou está prestes a morrer, ou seja, ele tem a premonição da morte, consegue enxergar a aura das pessoas, se as pessoas estão tristes ou não, se estão com encostos e, muitas vezes, o cachorro se assusta ao ver algo estranho.
Ele também tem o poder de “quebrar quebranto”, quer dizer, afasta a inveja da sua aura, quebra as energias negativas e elimina tudo de maldade humana que você apresenta. Dependendo do caso da maldição no ser humano, o cachorro terá queda dos pêlos ou até chegam a morte em virtude da energia pesada sobre os seus donos.
E o que acontece quando o cachorro morre? Quando um cachorro morre, reencarna na mesma família em aproximadamente 60 dias, pois não são espíritos errantes como nós que precisamos ficar um tempo em outro plano para acertarmos os erros cometidos. Que divino é o nosso animal de estimação!
Vale mencionar que não só os cachorros e os gatos são os amigos do homem em todos os sentidos. O golfinho, a baleia, a águia, a tartaruga, a coruja, o papagaio, o pica-pau, por exemplo, também apresentam os seus valores e atributos positivos.
- A baleia e o golfinho pensam dezesseis vezes mais rápido que o ser humano e é por isso que são considerados os seres mais inteligentes do Planeta.
- A águia representa a força e apresenta uma visão mais aguçada que todos os animais.
- A tartaruga tem a casa própria, passeia devagarinho e sempre.
- A coruja apresenta o poder da magia, consegue enxergar 360º e representa os nossos ancestrais.
- O papagaio também consegue ver tudo e sabe de tudo, pois a sua espiritualidade é aguçada.
- O pica-pau representa a justiça em sua vida.
Devemos respeitar os animais, pois eles são seres maravilhosos e estão aqui para nos ajudar. Futuramente, não haverá mais a necessidade do ser humano matar os animais para complementar a alimentação. O próprio ser humano está cada vez mais evoluindo para comer somente grãos e verdura.
Todos nós devemos sim ter um animalzinho em casa para nos proteger e fazer companhia. Cuide dele com todo o seu amor e carinho, pois ele merece!

Márcia Fernandes.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Tragédia no Rio de Janeiro e São Paulo atingiram muitos animais

Assim como os humanos os animais também sofrem com as tragédias...e para eles é pior....pois o governo não disponibiliza dinheiro ou o recolhimento deles a lugares seguros como para os humanos. Por isto eles dependem da ajuda de todos nós neste momento...o pouco que você puder ajudar será de grande ajuda para eles. A tragédia é grande e não podemos ficar de braços cruzados, pessoas e animais sofrendo muito, cabe a nós ajudar!!!! Os animais estão à própria sorte, sem ter para onde ir. SABEMOS e SENTIMOS muito pelas pessoas também, de verdade!! Mas nossa causa são os que SEMPRE são os mais esquecidos, até pela mídia, OS ANIMAIS.
Inúmeros animais estão pelas ruas, famintos, desnorteados, feridos, traumatizados; a situação é caótica.

Por isso, estamos pedindo a todos os amigos que colaborem.
Escolha uma forma de ajudar e não deixe de participar.
Em nome dos animais, agradecemos do fundo do nosso coração.
Esse cachorro, chamado Leão, está há dois dias ao lado do local onde sua tutora foi enterrada. Foto: Vanderlei Almeida/AFP

SOS Região Serrana: Lista completa dos postos de arrecadação para ajudar os animais
15 de janeiro de 2011

As enchentes na Região Serrana do Rio de Janeiro atingiram gravemente muitos animais. Até agora foram contabilizadas quase 300 mortes de cavalos, cães, gatos e outros animais. Esse número pode subir ainda mais. Outras centenas de animais estão feridos e precisam muito da ajuda de todos. Parte deles estão em áreas isoladas desde a madrugada da terça-feira, sem água, sem comida.
Diante da calamidade que atingiu também os animais, em São Paulo e no Rio de Janeiro foram montados postos de arrecadação para salvar a vida desses animais.

Para quem mora em outros estados, é possível fazer doações em dinheiro para WSPA:
Defensores dos Animais
Banco Bradesco
Agência 279-8
Conta-poupança: 172813-0


O que doar:
- água
- ração (seca e em lata, para cães e gatos)
- alimento especial para os mais fracos Hill’s A/D
- vermífugos
- antipulgas e carrapatos
- medicamentos veterinários
- jornais
- potes plásticos para colocar ração e água
- toalhas
- antibióticos
- anti-inflamatórios
- antitérmicos
- anestésicos
- analgésicos
- descartáveis (luvas, seringas, faixas, gaze, soro fisiológico, cateter etc)
- cobertores
- entre outros itens


Onde doar

São Paulo


Clínica Veterinários na Estrada
Ipiranga – Rua Marcos Portugal, 224 (próximo ao metrô Sacomã e ao terminal Sacomã de ônibus)
Contatos: (11) 5062.8522 / 2592.2645 / 8778.1792 / 8298.9261
Doações em dinheiro:
Bradesco
AG : 2925-4
C/C 4090-8

Amelia Margarida de Oliviera – ME
APASCS-Associação Protetora dos Animais de S.Caetano do Sul
São Caetano do Sul - Rua Rio Grande do Sul, 653
Bairro Santo Antônio -próximo à Câmara Municipal
Contato: (11) 4229-4425 – Mercedes

Projeto Natal Animal (www.natalanimal.com.br)
Cotia – (11) 4702-4240 / 7086-5751 – Claudia
e-mail: natalanimal@gmail.com

Rio de Janeiro
Santa Cruz: CCZ Paulo Dacorso Filho, Largo do Bodegão, 150
Contato: (21) 3395-1595 ou (21) 3395-2190 / e-mail: ccz@rio.rj.gov.br

Flamengo: Rua Correa Dutra, 99 loja 5 (Distribuidora Costa Leivas)

Méier: Carla Bello – (21) 8829-9026

Copacabana: Lojas Bicho Bacana – Rua Santa Clara, 110 e Rua Paula Freitas, 61

Leblon: Animals Care: Avenida Bartolomeu Mitre, 455 – lojas 106 e 107

Botafogo: Patas & Penas – Rua Voluntários da Pátria, 374

Urca: Patas & Penas – Rua Marechal Cantuária, 70 – loja b

NorteShopping: Patas & Penas – Rua Dom Hélder Câmara, 1º piso

Gávea: Loja Pet Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 7

Barra da Tijuca: Loja Aquário Pet Barra – Av. Ayrton Senna, 3383 – loja 149

Bonsucesso: Avenida Brasil, esquina com a Rua Teixeira Ribeiro (passarela 9).

Centro: Campo de Santana – Praça da República,Campo de Santana, s/nº

Coelho Neto: Praça Virgínia Cidade (próximo à estação Coelho Neto do Metrô)

Guaratiba: Fazenda Modelo – Estrada do Mato Alto, 5620 (ao lado do Posto de Saúde Maia Bittencourt)

Jacarepaguá: Praça Seca (em frente ao banco HSBC)

Largo do Machado: Praça Central (em frente à cabine da Polícia Militar, próximo à Estação Metrô)

Realengo: Praça Padre Miguel (Paralela à Avenida Santa Cruz, em frente à igreja Nossa Senhora da Conceição)

Vicente de Carvalho: Largo de Vicente de Carvalho – Av. Martin Luther King Júnior (próximo ao metrô)

Tijuca: Pet Shop Sheik – Rua Barão Mesquita nº 891, A

Niterói: Veterinária Kennel Vip – Rua Gavião Peixoto 31, Icaraí

G.A.R.R.A.: Grupo de Ação, Resgate e Reabilitação Animal
Contato: (21) 9258-8445 – Renata

Suipa: faleconosco@suipa.org.br ou pelo 21-3297-8750
Banco Itaú
Agência: 0584
Conta Poupança: 54979-4 / 511 (complemento)
Favorecido: Sociedade União Internacional Protetora Dos Animais – SUIPA
CNPJ: 00.108.055/0001-10

Região Serrana

GAPA: Grupo de Assistência e Proteção aos Animais Itaipava
Telefone: (24) 2222-8419

Clínica Bicharada: Estrada União Indústria, 10661, Itaipava/ Petrópolis

ONG Combina (Companhia dos Bichos e da Natureza): Rua José Eugênio Muller, 36, Centro Friburgo

Abrigo daSerra, Teresópolis – contato: Eliane Leão
Tel: (21) 9533-2956

Armazém do Gemmal: Estrada União e Indústria, 10.733, Itaipava –
Tel: (24) 2222.0298.

ONG Estimação: Contato: (21) 2642-1951 / 8790-7772 – Bebete
Doações em dinheiro:
Banco Itaú – 341
Agência: 6103
Conta Corrente: 19918-5
CNPJ- 08.996.430/0001-17

ONG Estimação
Banco Itaú 341
Agência 7037
C/C 01416-9
CPF: 402.923.807-63
Maria Elizabete L. Filpi

A Coordenadoria do Bem-Estar Animal de Nova Friburgo vai auxiliar todos os canis de Nova Friburgo após vistoria no local, para verificar suas necessidades e para melhor utilização das doações que serão exclusivamente usadas para minimizar o sofrimento dos animais. Todas as contas serão prestadas através da Internet.
Para doações:Instituto Univida de Proteção Animal (veja site)
Banco Itaú
Agência: 6542
Conta corrente: 06841-3
Contatos:
Adilson Pacheco (Presidente do Univida)
(22) 2533-4035 e 8801-2153

Carla Freire (Coordenadoria do Bem Estar Animal de Nova Friburgo)
(22) 2522-1356 e 9931-3313 – coobea.nf@gmail.com

Cristina Ribeiro (voluntária)
(22) 2528-3312 e 9942-9655

GUARDEM ESSA IMAGEM E A CADA PEDIDO DE ALGUÉM QUE QUEIRA SE DESFAZER DE SEU ANIMAL A MANDEM EM RESPOSTA.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Multa para maus-tratos a animais chega a R$ 1.500

O prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB), assinou, dia 22 de dezembro, a Lei Complementar 265/2010, que estabelece multa gradativa de R$ 150 a R$ 1.500 para quem cometer maus-tratos contra animais.

A lei refere-se a animais domésticos e domesticados, pertencentes à fauna urbana e rural, como cães e gatos, cavalos, asnos e burros, pássaros e aves, entre outros considerados de estimação ou usados "para auxílio no exercício de trabalhos".

A lei complementar proíbe o tráfego de veículos de tração animal na área central da cidade em dias úteis, das 8h às 18h. Também proíbe "expressamente" os atos de amarrar animais em postes, árvores, grades e portões e conduzí-los sobre passeios ou jardins.

Com relação aos animais domésticos serão penalizadas ações que "demonstrem intenção consciente do cidadão em provocar maus-tratos ou crueldade contra animais, tais como privação das necessidades básicas, sofrimento físico, medo, estresse, angústia, patologias ou morte".

Entre essas ações são previstas no texto penalidades para abandono em vias públicas, imóveis residenciais fechados ou inabitados e em terrenos baldios; espancamento; agressão com uso de instrumentos cortantes ou por meio de substâncias químicas, escaldantes ou tóxicas; e atear fogo em animal ainda vivo.

A lei, que entrou em vigor na data da publicação, prevê que caberá "às autoridades municipais a observância destes dispositivos, naquilo em que lhe seja atribuída competências fiscalizatórias para seu cumprimento". (Solange Strozzi)

Jornal de Piracicaba Online
Fonte: http://solidariedadeanimal.blogspot.com/

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Cadela sem pelos tem aulas para aprender a ser amada

Uma cadela abandonada chamada Princess (ou “Princesa”, na tradução para o português), de apenas 6 meses, está tendo aulas para aprender a ser amada. Parece estranho, mas o fato é que o animal é tão arredio e assustado que os funcionários de um centro de resgate em Lancashire, na Grã-Bretanha, enfrentam dificuldades para se aproximar dele. “Princess é a cadela mais triste que já conheci”, afirma Neil Martin, um dos membros do centro, ao jornal Daily Mail. “Quando ela chegou, logo percebemos que ela nunca havia recebido amor. Nós tentamos animá-la com alguns brinquedos, mas ela tinha medo”, completa.

Princess sofre de uma doença que a deixa sem pelos e torna sua pele tão delicada que a impede de permanecer muito tempo ao ar livre, exposta ao frio e ao calor intensos. “A doença pode ser transmitida após um contato prolongado, então provavelmente ela deve ter pego da mãe”, diz Martin.

Os tratadores estão utilizando uma série de medicamentos para tentar curar a cadela – mas é provável que ela precise de um remédio mais avançado e caro, que custa cerca de R$ 30 por dia. “O tratamento será custoso, mas não iremos parar. Nós queremos resolver o problema e dar a ela uma nova vida”, afirma Martin.
Fonte: http://colunas.globorural.globo.com/planetabicho/2010/