sábado, 16 de julho de 2011

Fazenda em Rio Claro recebe animais vítimas de cativeiro

Um projeto vem sendo desenvolvido em uma fazenda de Rio Claro com o objetivo de preservar o meio ambiente. Na Fazenda de São Benedito, localizada na estrada Mangaratiba-Rio Claro em uma área de 140 hectares, foi transformada em uma área para a soltura de animais após um convênio com o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis).

A ação faz parte do Projeto de Soltura de Animais Silvestres, criado pela Secretaria de Meio Ambiente em parceria com o Instituto Chico Mendes, Ibama e a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRJ).

A área - que é particular - pertence ao presidente do Conselho de Meio Ambiente, Antônio Luiz de Melo, e é uma RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural), onde onze funcionários trabalham na manutenção dos viveiros e na recuperação de áreas degradadas.

- Alunos de Zootecnia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro fazem por lá pesquisas de mestrado no local, daí o monitoramento e a parceria com a faculdade - disse Mário Vidigal, destacando a importância do projeto.

- É com essa obtenção de resultados que podemos divulgar cada vez mais o projeto e, através dele, divulgar também o processo correto de soltura de animais. Isso é um apelo pela preservação ambiental e também pela educação ambiental que será trabalhada para que estes animais soltos não sejam recapturados e voltem para o cativeiro - concluiu Mário.

Os animais apreendidos pelo Ibama no estado são levados para o Centro de Triagem de animais silvestres em Seropédica, na Região Metropolitana do Rio.

A maioria dos pássaros foi apreendida por tráfico de animais silvestres e estava em recuperação no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), em Seropédica.

- Vários órgãos ambientais - entre eles a secretaria, através de sua equipe de fiscalização - apreendem estes animais e encaminham para o Cetas para sua reabilitação. Nossa equipe fiscaliza contra a pesca e caça predatória - falou Mário Vidigal, que acrescenta as estatísticas sobre o fato.

- O tráfico de animais é o terceiro maior tipo de tráfico do país, perdendo somente para o de drogas e armas.

Além de pássaros, outros animais como aratingas (maritacas) e macacos bugio ocupam o habitat da fazenda em Rio Claro.

A prefeitura tem oferecido palestras a alunos da rede municipal com o objetivo de orientar os alunos sobre o Projeto de Soltura de Animais Silvestres.

O objetivo das palestras é fazer um trabalho de educação ambiental com os moradores das áreas próximas ao local de soltura, para que elas conheçam o trabalho e possam ajudar na preservação.


Leia mais: http://diariodovale.uol.com.br/noticias/4,43363,Fazenda%20em%20Rio%20Claro%20recebe%20animais%20vitimas%20de%20cativeiro.html#ixzz1SKvvy2Ql

Fonte: http://diariodovale.uol.com.br/home/#axzz1SKvoLcdM

4 comentários:

  1. Tenho quatro piriquitos que ganhei de uma colega de trabalho. Tenho vontade de ve-los livres, porém por aqui é impossivel libertar os bichinhos devido ao grande número de plantação de cana-de-açucar e suas consequentes queimadas.
    Gostaria de saber se podem realizar meio sonho buscando os pássaros? Ou devo mante-los na gaióla mesmos sob meus cuidados que não são poucos, pois amo os animais.
    Meu email é rodrigues.d6@gmail.com
    Sou da cidade de Barretos SP.
    Aguardo seu contato. A PAZ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flor, vou tentar descobrir algum local em São Paulo que faça esse trabalho.

      Excluir
  2. Crianças, fauna e flora futuro do mundo.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pela precisão amada, que o Senhor seja contigo e que juntas (o) salvemos a liberdades desses bichinhos.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.